Participamos do

Eduardo Girão sobre candidatura de Moro: "O Brasil só tem a ganhar"

Segundo o parlamentar, Moro "já parte de outro patamar na terceira via", com potencial de quebrar a polarização que julga existir entre Bolsonaro e o ex-presidente Lula
16:00 | Nov. 15, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O senador Luis Eduardo Girão (Podemos-CE) elogiou, nesta segunda-feira, 15, a pré-candidatura do ex-juiz Sergio à Presidência da República para as eleições de 2022, anunciada em discurso de filiação ao Podemos, na última quarta-feira, 10. Em entrevista à rádio O POVO CBN, o parlamentar afirmou que ex-ministro "personifica" a Operação Lava Jato e entra no xadrez político em uma ação "espetacular". 

"É espetacular o Sergio Moro vindo para o xadrez político eleitoral do Brasil, porque ele qualifica o debate, e resgata valores perdidos ultimamente no combate à corrupção (...) Então eu acho que o ex-ministro vindo para esse cenário o Brasil só tem a ganhar porque ele personifica essa operação Lava Jato que é um símbolo positivo do Brasil internacional", disse o senador.

LEIA MAIS l 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Brasil não vai eleger "um juiz ladrão", diz Ciro sobre candidatura de Moro

Discurso de Sérgio Moro em sua filiação ao Podemos; leia na íntegra

O parlamentar disse ainda que Moro "já parte de outro patamar na terceira via", com potencial de quebrar a polarização que julga existir entre Bolsonaro e o ex-presidente Lula. Segundo Girão, o ex-juiz  "tem uma folha de serviços prestados com muito êxito ao Brasil" e pode acabar com eventuais decisões consideradas por ele como "esdrúxulas" entre os Poderes. 

"Os três poderes da República têm enfraquecido a operação Lava Jato sistematicamente. Quando o Executivo pega o COAF, joga para um lado e para outro e ele termina como um apêndice do Banco Central. Para proteger quem? Quando o STF tem essas decisões esdrúxulas uma por cima da outra liberando réus da lava jato e enfraquecendo o sistema de impunidade do Brasil e quando o próprio Legislativo vota a lei de abuso de autoridade, amarrando juize e promotores que querem fazer seu trabalho", completou o senador.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags