Participamos do

Twitter suspende nova conta criada pelo blogueiro bolsonarista Allan Santos

O blogueiro está sendo investigado nos inquéritos das fake news e das milícias digitais
14:52 | Nov. 05, 2021
Autor Alice Araújo
Foto do autor
Alice Araújo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O blogueiro bolsonarista Allan Santos, que gerenciava o canal do YouTube “Terça Livre”, criou uma nova conta no Twitter, após ter seus perfis em outras redes sociais retirados do ar, por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. O novo Twitter de Santos, @allannoexilio, no entanto, já foi suspenso pela plataforma.

De acordo com informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo, ao tentar acessar a conta do blogueiro, é exibida uma mensagem automática afirmando que a rede social "suspende as contas que violam as regras do Twitter".

Allan é um dos principais investigados em dois inquéritos na Suprema Corte: o das fakes news e o das milícias digitais. O primeiro investiga a divulgação de notícias falsas e ataques aos ministros do STF. O outro apura a atuação de uma suposta milícia digital que trabalha contra as instituições democráticas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Após entrar na mira dos inquéritos, o apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou o país e está nos Estados Unidos com o visto vencido, desde julho. Alexandre de Moraes pediu a prisão de Santos, e ordenou à Polícia Federal a inclusão do mandado na lista de Difusão Vermelha da Interpol, para garantir que o blogueiro seja capturado e retorne ao Brasil.

A embaixada dos Estados Unidos foi acionada e o magistrado determinou que o Ministério da Justiça inicie de imediato o processo de extradição de Allan.

O nome do blogueiro também aparece na lista de indiciamentos do relatório final da CPI da Covid. No documento, que propõe 80 indiciamentos, entre pessoas e empresas, Allan Santos é acusado de incitação ao crime.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags