Participamos do

Heitor Freire deve mediar diálogo do União Brasil para expandir oposição no CE

| Jogo Político | Objetivo é promover um possível acordo entre o presidente do DEM no Ceará, Chiquinho Feitosa, e o deputado federale futuro líder estadual do PSL, Capitão Wagner
20:11 | Out. 05, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O deputado federal Heitor Freire (PSL) afirmou nesta terça-feira, 5, que deve ter papel decisivo no diálogo entre as lideranças cearenses após a formação do União Brasil, legenda resultante da fusão entre DEM e PSL. Ao programa Jogo Político, o parlamentar disse que deve tentar costurar uma aliança entre o deputado federal Capitão Wagner (Pros) - possível líder do PSL após acordos -  e o presidente do DEM no Ceará, Chiquinho Feitosa

O União Brasil será comandado nacionalmente por Luciano Bivar, atual presidente do PSL. Seu homólogo no DEM, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto será o secretário-geral. A nova sigla terá a maior bancada da Câmara, com 81 deputados federais, superando os 53 assentos ocupados pelo PT. A consequência direta disso é a maior fatia do fundo partidário e do tempo de TV no Horário Eleitoral Gratuito.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Nos bastidores, tudo indica que o partido será comandado pelo deputado federal Capitão Wagner, hoje no Pros e pré-candidato ao Palácio da Abolição em 2022. Contudo, segundo Freire, a força política de Chiquinho Feitosa dentro da oposição também não é algo a ser ignorado, estando a decisão sobre a liderança do novo partido ainda indefinida. 

"No momento certo, será chamado para conversar, principalmente Capitão Wagner e Chiquinho Feitosa. Teremos ali a força política de ambos, vamos tentar uma união e vamos decidir nossos rumos. O que vai determinar a presidência do União Brasil, acredito, será a força política", afirmou Heitor. 

"Estou apoiando ele [Wagner] para o governo do Estado. Passei o PSL para ele. Estou dizendo que não tenho uma bola de cristal e quem vai resolver isso não sou eu, vai ser a [Executiva] nacional, porém, ambos vão ter que conversar e eu vou participar dessa conversa", acrescentou Heitor. 

Para Freire, o foco ainda é discutir os desafios para a criação do União Brasil, tema já agendado para a reunião do Convenção Nacional do Democratas nesta quarta-feira, 6. O encontro deve deliberar sobre a fusão das siglas e decidir sobre os projetos comuns de Estatuto e Programa partidários. Também será eleita a Comissão Executiva Nacional Instituidora, órgão nacional que promoverá o registro do novo partido.

Como o DEM está na base de Camilo Santana (PT), ainda resta dúvidas sobre a futura posição política a União Brasil. Segundo Heitor Freire, o esforço é que a legenda seja oposição ao governo estadual, liderado pelo grupo dos Ferreira Gomes.

No entanto, qualquer que seja a futura liderança no Ceará e sua posição, caso a fusão partidária seja efetivada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e a postura da legenda em relação ao Abolição, Freire garante que deve permanecer na nova sigla.

"Quero disputar a minha reeleição a deputado federal no União Brasil. Lembrando que o Camilo não será mais candidato ao governo. O governador vai se afastar, então não vai ter essa base, a gente está avançando um pouco", projeta o deputado.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags