Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Bolsonaro: "Eu sempre fui do Centrão. É o que eu tenho para governar"

O presidente destacou ainda ainda não ser possível aprovar projetos no Congresso Nacional sem os votos dos políticos do bloco
14:44 | Ago. 02, 2021
Autor - Filipe Pereira
Foto do autor
- Filipe Pereira Repórter Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) retomou sua defesa a sua aliança com o Centrão nesta segunda-feira, 2. O pronunciamento foi dado ao comentar a última reforma ministerial, que teve, entre as primeiras mudanças, a nomeação do senador Ciro Nogueira (PP-PI) para a Casa Civil.

“É fácil, de forma pejorativa, acusar o Centrão. E outra: eu sempre fui do Centrão, eu sempre fui do PP, raramente estive fora de partido fora dessa sigla. Agora, não podemos simplesmente aceitar que o Centrão está fora do destino do Brasil. Então, é o que eu tenho para governar. Eu tenho me dado muito bem com essas pessoas. Ou querem que vá procurar o apoio do PT, do PCdoB, do PSol, da Rede, do Cidadania? É fácil falar, né?", disse Bolsonaro em entrevista à Rádio ABC, de Novo Hamburgo (RS).

Formado por partidos de centro e centro direita, o Centrão foi alvo de críticas de Bolsonaro e seus assessores durante a campanha eleitoral em 2018. No mesmo ano,o presidente disse que dirigentes do Centrão representavam a "alta nata de tudo o que não presta no Brasil”. Agora, na tentativa de emplacar sua candidatura, o mandatário busca apoio do bloco.

LEIA MAIS l Relembre declarações de Bolsonaro e aliados sobre Centrão antes das eleições

Nesta segunda, Bolsonaro destacou que a busca pelo Centrão deve-se pelo objetivo de, por exemplo, promover uma reformulação no Bolsa Família. O objetivo é que o valor médio do benefício seja ampliado, passando de R$ 192 para R$ 300. A estratégia e uma das já visadas para sua companha de reeleição em 2022.

“Em 90% do que eu quero fazer em Brasília, eu dependo do Parlamento, como, por exemplo, agora eu preciso corrigir o Bolsa Família. A média está em R$ 192. Como eu vou corrigir? Porque a inflação está aí, disse o presidente. 

O chefe do Executivo nacional reinterou ainda não ser possível aprovar projetos no Congresso Nacional sem os votos dos políticos do bloco parlamentar. Ele defendeu que as mudanças implantadas nos ministérios visam ao “melhor funcionamento do Poder Executivo”. “Olha, senta na minha cadeira aqui e governe sem o voto de mais metade dos parlamentares, que estão aí do dito Centrão. Governe sem eles”, disse.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Fim dos Fleets: usuários do Twitter aproveitam último dia com publicação de nudes

REDE SOCIAL
2021-08-02 14:59:58
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Usuários do Twitter resolveram aproveitar os últimos dias dos Fleets de uma forma inusitada, publicando uma série de fotos e vídeos íntimos, os “nudes”, na rede social. O recurso será oficialmente desativado nesta terça-feira, 3, conforme anunciado pelo Twitter no último dia 14 de julho. A ferramenta é semelhante ao Stories do Instagram, que permite que usuários publiquem fotos e vídeos que são apagados após 24 horas, e foi lançado pelo Twitter em 2020.

Quem possui uma conta no Twitter percebeu a movimentação nesse domingo, 1º, e que segue nesta segunda-feira, 2, último dia do recurso na rede social. A despedida inusitada fez com que a hashtag “Fleets Day” (Dia do Fleets em português) ficasse entre os assuntos mais comentados da rede social. Além disso, memes sobre a despedida inusitada com nudes dos usuários estão movimentando o Twitter nesses dois dias.


Fim do Fleets

 

Lançando em 2020 pelo Twitter, o Fleets nasceu para competir com o Stories do Instagram, já que o recurso é semelhante ao da rede social que permite deixar foto ou vídeos por até 24 horas. No entanto, em 14 de julho deste ano, o Twitter informou na rede social o fim do recurso.

O comunicado também foi realizado pelo vice-presidente da rede social, Ilya Brown. O executivo disse que o objetivo era atrair aqueles que não têm o hábito de postar tweets, que têm como grande foco o texto. No entanto, a ferramenta teve baixa adesão dos usuários, o que levou ao fim precoce.

“Esperávamos que o recurso pudesse tornar a experiência de compartilhar ideias e opiniões momentâneas mais confortável. Porém, desde que anunciamos o recurso globalmente, não tivemos um aumento no número de novas pessoas participando de conversas com Fleets da forma que esperávamos”, lamentou Ilya Brown, em comunicado.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tênis de mesa: equipe brasileira se despede de Tóquio nas quartas

Esportes
2021-08-02 14:52:58
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O tênis de mesa do Brasil deu adeus ao sonho da primeira medalha olímpica nos Jogos de Tóquio (Japão) ao ser superado pela da Coreia do Sul, em duelo por equipes pelas quartas de final, na madrugada desta segunda-feira (2). O trio formado por Vitor Ishiy, Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano perdeu por 3 a 0 para os sul-coreanos Lee Sangsu, Jeoung Youngsik e Jang Woojin.

A oitava posição em Tóquio 2020 foi o melhor resultado da história da modalidade no país. Nas duas últimas edições - Jogos de Londres (2012) e Rio 2016 - o tênis de mesa por equipes terminou em nono lugar. Na Olimpíada de Pequim, o país encerrou na 13ª posição..

Sem apreensões, eleição em Missão Velha é marcada por tranquilidade, afirma coronel

ELEIÇÃO SUPLEMENTAR
2021-08-02 14:52:00
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

As eleições complementares na cidade de Missão Velha, realizadas neste domingo, 1º, foram consideradas tranquilas e sem nenhum registro de apreensões. É o que avalia o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar em Juazeiro do Norte, coronel Patrício Lima de Sant'ana, durante entrevista à Rádio O POVO CBN Cariri. 

Segundo o comandante, apesar da forte tensão política no pleito, que deu vitória para o candidato Dr. Lorim (PDT), o clima foi bastante pacífico. "Contamos com um efetivo policial militar de 101 homens para trabalhar no pleito, então não tivemos maiores problemas. Fizemos um planejamento que pudesse atender a todos os locais de votação. Inclusive, tivemos reforço da Polícia Federal, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros. Ou seja, todas as forças de segurança para garantir a execução do pleito dentro da localidade."

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Disputaram as eleições Fitinha, do PT e DR. Lorim, do PDT. As eleições na cidade foram determinadas pela Justiça Eleitoral após o diploma de Dr. Washington (MDB), eleito no ano passado, ter sido indeferido por decisão judicial.

O novo pleito contou com bastante movimentação e engajamento dos eleitores, sobretudo após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-aliado Ciro Gomes entrarem na disputa, declarando apoio a seus respectivos candidatos.

LEIA MAIS l Clima de hostilidade e policiamento reforçado marcam eleição em Missão Velha

Saiba quem foram os candidatos que disputaram novas eleições para prefeito no Ceará

Além da solicitação por parte do Poder Judiciário e Ministério Público, o esquema de segurança local já contava com um planejamento prévio, afirma o coronel. "A eleição é sempre acirrada. Os eleitores realmente ficaram na maior tranquilidade possível. A Polícia não precisou intervir em nenhuma solicitação, muito menos na comemoração por parte do partido vencedor", completa Patrício. 

Mesmo sob forte tensão, a votação também foi considerada tranquila pelo juiz eleitoral Djalma Dantas Sobreira. Neste domingo, agentes da PF encontraram material de campanha, mas como não havia distribuição no momento da apreensão, o material foi levado para o cartório eleitoral da cidade e não houve o registro de propaganda eleitoral irregular. (Colaboraram Carlos Viana e Carolina Parente)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

"Esquerda e direita têm medo de mim", diz Ciro Gomes

Eleições 2022
2021-08-02 14:45:00
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O ex-ministro e provável presidenciável Ciro Gomes (PDT) divulgou vídeo nesta segunda-feira, 2, nas redes sociais, onde reforçou seu distanciamento da esquerda e da direita no País. Criticando ambos os espectros políticos que, segundo ele, tentam impedi-lo de se tornar presidente, Ciro alegou que ambos “têm medo” do seu projeto político.

“Há muito tempo tentam impedir que eu chegue à presidência. Me colocam todo tipo de armadilha e eu mesmo caminhei ingenuamente para alguma delas. Por que fazem isso?”, questiona, já respondendo na sequência: “Porque tanto a extrema direita quanto a extrema esquerda temem meu projeto. Esquerda e direita têm medo de mim”.

Na peça, Gomes diz ainda que os grupos não conseguem acusá-lo de três coisas: ser “corrupto”, “incompetente” e de “não ter propostas” de governo. “A esquerda e a direita sabem que, se eleito, minha forma de governar vai mudar a régua estreita que mede as velhas ideologias”.

A ênfase no distanciamento de ambos os lados reforça tentativa do pedetista de se firmar como nome da chamada terceira via eleitoral para 2022. Concorrendo a esse posto estão ainda nomes do PSDB, como os governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS).

Ciro Gomes vem postando ao longo deste ano diversas peças com críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), os dois melhores colocados, até então, nas pesquisas eleitorais sobre a eleição presidencial do ano que vem.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Técnica de Enfermagem denuncia assédio e atraso de pagamento no Leonardo Da Vinci

referência em covid
2021-08-02 14:44:00
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sindsaúde Ceará) denuncia assédio que teria sido cometido por uma coordenadora de Enfermagem no Hospital Estadual Leonardo da Vinci (HELV), em Fortaleza. O comunicado foi feito nas redes sociais do Sindicato. Conforme imagens de capturas de tela divulgadas, o profissional responsável pela denúncia teria perguntado à chefe sobre a gratificação atrasada há cerca de dois meses. Em seguida, conforme os prints, a coordenadora de Enfermagem responde que os atrasos são porque os cooperados usam muito avental e bebem muita água.

O Hospital Estadual Leonardo da Vinci e o Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) informaram que a coordenadora não reconhece as mensagens divulgadas. O Conselho Regional de Enfermagem do Ceará (Coren) informou que a coordenadora de Enfermagem abriu reclamação para averiguar a veracidade das mensagens e capturas de telas divulgadas pelo Sindsaúde. A Cooperativa de Atendimento Pré-Hospitalar (Coaph) afirmou que está investigando o caso. 

Entenda a denúncia

 

Um suposta conversa de Whatsapp foi divulgada pelo Sindsaúde do Ceará mostrando o diálogo entre a coordenadora de Enfermagem do HELV e uma profissional técnica de enfermagem, que não quis se identificar. Como a coordenadora citada não reconhece a autoria das imagens divulgadas e não há procedimento formal instaurado contra ela, O POVO opta por preservar a identidade.

Na conversa, a mulher é abordada pela profissional de saúde sobre as gratificações pagas aos trabalhadores pela atuação na pandemia de Covid-19.

As imagens da captura de tela mostram a coordenadora de Enfermagem respondendo: “Só falam comigo para me perguntar de dinheiro, que inferno! Não trabalho no RH. Liguem ou vão para lá. Sabe por que atrasa tanto? Porque vocês usam muito avental… E vocês bebem muita água. Aquele tanto de garrafa de água. Para que? Parem de beber água no andar”.

O Sindicato conta que a profissional da saúde, que se sentiu ofendida, capturou a tela da conversa e enviou as imagens para o Sindsaúde Ceará.

Além disso, a entidade representativa dos profissionais afirma que alguns trabalhadores foram ouvidos e disseram que a mesma profissional denunciada já havia publicado fotos de outros profissionais que cometeram erros, com o intuito de causar constrangimento. O Sindsaúde também encaminhou as denúncias ao Ministério Público do Trabalho (MPT), na última quarta-feira, 28.

Atraso na remuneração

 

Com mais de 2 mil curtidas na publicação, o Sindicato diz que passou a receber mensagens de pessoas denunciando não somente o assédio, mas também os atrasos na remuneração e nas gratificações Covid-19. Segundo a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão, a principal queixa é por atraso na remuneração dos cooperadosOs cooperados que estariam com atraso na remuneração e gratificação estão ligados à Cooperativa de Atendimento Pré-Hospitalar (Coaph).

A publicação traz comentários de algumas pessoas insatisfeitas com a situação: “Ainda não recebemos o referente ao mês de maio e junho. Muitos deram o seu suor, ficaram afastados dos seus familiares para dar o melhor na pandemia… Precisamos pagar contas e precisamos nos alimentar”, diz um dos comentários.

"O ISGH recebe o dinheiro como gestor da unidade, mas não fez seleção para colocar os profissionais para trabalhar. O Instituto de Saúde contrata uma cooperativa chamada Coaph. Ele "quarteiriza" o serviço, porque o ISGH já é terceirizado”, afirmou Marta Brandão. Conforme ela, a gratificação foi formalizada em março, porém, só foram pagas por dois meses.

“Algumas pessoas saíram da unidade porque não possuíam nem o dinheiro do transporte para se locomover. Quando a cooperativa é pressionada, eles dispensam as pessoas. A gente não fala nem em demitir, porque eles não têm direito à rescisão, nem nada”, finaliza Marta Brandão.

Procurado sobre as remunerações atrasadas, o ISGH pediu que O POVO entrasse em contato com o Hospital Leonardo Da Vinci, que por sua vez, orientou a reportagem a buscar a Coaph. A Cooperativa então informou que não houve o pagamento da produção do período de 21 de maio a 20 de junho à cooperativa referente aos serviços prestados no Hospital Leonardo da Vinci. "A Coaph está acompanhando junto ao ISGH e a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) a finalização do processo e dando todo o apoio necessário aos nossos cooperados que prestam serviço junto ao Hospital".

Outras denúncias

 

"Aquele print ali é só o básico do básico. Os comentários possuem uma chuva de denúncias. Ela pede para que não usemos avental, ela diz que é para irmos com nosso própria roupa para o hospital, correndo risco de contaminar nossos familiares. No caso dos pacientes, eles ficam evacuados ou urinados, porque não tem lençol para trocar. A coordenadora diz: se está evacuado, deixa evacuado", conta a fonte das informações publicadas pelo Sindsaúde.

"Antes subiam garrafas de 1,5 L para os andares do HELV, direcionada aos profissionais que trabalham na unidade. Ela (coordenadora) pediu para que não subissem mais essas águas de 1,5 L. Fica apenas um garrafão de água. A gente fica sem beber, porque não tem copo descartável e ela proíbe a gente de levar, alegando que é uma área sujeita a contaminação", continua a denunciante.

Sobre a situação, o Hospital Leonardo da Vinci afirmou ter havido plano de contenção para faltas que ocorreram em momentos específicos. "Sobre a questão da falta de roupa para profissionais e pacientes, o hospital reforça que em momento algum deixou de fornecer enxovais hospitalares e que existiu um plano de contenção para as faltas pontuais, mas não deixamos em momento algum de fornecer para os pacientes. Além disso é infundada, também, a questão dos funcionários não estarem bebendo água, quando dispomos de bebedouros em todos os andares do hospital".

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags