PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"Já tá certo quem vai ser presidente", diz Bolsonaro sobre urnas eletrônicas

Em sua fala, Jair Bolsonaro questiona o motivo do Brasil ser um país que "tem tudo", mas grande parte da população viver na miséria

23:52 | 09/07/2021
A fala foi dada em encontro com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada (Foto: Foco do Brasil/Reprodução)
A fala foi dada em encontro com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada (Foto: Foco do Brasil/Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta sexta-feira, 9, que “já está certo” que o novo presidente do Brasil será escolhido por meio de fraude. A declaração foi feita durante encontro com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada. Ainda, o presidente voltou a criticar o uso das urnas eletrônicas nas disputas eleitorais e cobrou transparência no processo.

"Já tá certo quem vai ser presidente o ano que vem. A gente vai deixar entregar isso? Queremos transparência. Acho que, a cada dia que passa, vocês estão se conscientizando mais. O que está em jogo... Como é que justifica um país que tem tudo, viver grande parte da população na miséria? Viverem 20 milhões de pessoas com programas sociais. Não se justifica”, declarou o chefe de estado. A fala foi dada dias após da divulgação que o ex-presidente Lula (PT) apresentou sua maior vantagem contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em um possível cenário de eleições presidenciais de 2022.

“Então, nós temos que conscientizar quem está do nosso lado. Se as eleições, essa eletrônica, fossem honestas, por causa da tecnologia, por que o mundo não adota isso aí? Será que somos os melhores da tecnologia? Está na cara que aqui, (isso é para) voltar a quadrilha de sempre ao poder", alegou Bolsonaro.

Na ocasião, Bolsonaro também fez fala atacando o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Barroso, chamando-o de "idiota" e "imbecil". O presidente também criticou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que abriu investigação sobre organização criminosa digital, envolvendo os nomes de seus filhos, Flávio e Carlos Bolsonaro.

"Você viu gente presa por atos antidemocráticos? Vai pra… Que que é o cara quando levanta o artigo 142. Ué, se o artigo é ditatorial, tira da Constituição. Se está lá, é pra respeitar. Inclusive, o senhor Alexandre de Moraes tem que respeitar o artigo 142. ‘O cara levanta AI-5’. Que que é AI-5? Não existe AI-5. E alguns acham que quero dar o golpe. Falar para esse otário que eu já estou no poder. Importante refletir, pessoal. A liberdade não tem preço", concluiu.