PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Deputados cearenses criticam possível rachadinha de Bolsonaro revelada em áudio

Parlamentares repercutiram áudios publicados pelo site UOL, em que a ex-cunhada do chefe do Executivo, Andrea Siqueira Valle, evidencia a suposta participação do presidente nos atos de corrupção

Filipe Pereira
10:42 | 07/07/2021
Pela primeira vez o presidente Jair Bolsonaro tem o seu nome diretamente envolvido em suposto esquema de "rachadinha". Acusações desse tipo já surgiram contra os seus filhos Flávio e Carlos (Foto: EVARISTO SA /AFP)
Pela primeira vez o presidente Jair Bolsonaro tem o seu nome diretamente envolvido em suposto esquema de "rachadinha". Acusações desse tipo já surgiram contra os seus filhos Flávio e Carlos (Foto: EVARISTO SA /AFP)

Parte da bancada cearense da Câmara dos Deputados reforçou críticas a uma possível participação do presidente Jair Bolsonaro no esquema de rachadinhas quando ele ainda atuava como deputado federal. Em áudios publicados pelo site UOL, a ex-cunhada do chefe do Executivo, Andrea Siqueira Valle, lembra da demissão do seu irmão, André Siqueira Valle, após este se recusar a entregar a maior parte de seu salário a Bolsonaro.

O deputado Idilvan Alencar (PDT) lembrou do envolvimento de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, no esquema. O ex-funcionário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) também foi mencionado na gravação da fisiculturista. Ela afirma que Queiroz não foi o único a recolher os salários dos funcionários do atual senador Flávio Bolsonaro, já denunciado pelo Ministério Público. 

"O que o brasileiro espera é que as descobertas tenham consequência. Já teve o cheque do Queiroz de R$ 89 mil na conta da primeira-dama, nunca explicado. Queiroz estava escondido na casa do advogado do Jair Bolsonaro e ninguém nunca explicou; agora, esses áudios", diz o parlamentar.

Para o parlamentar, além das suspeitas de corrupção, o presidente mantém com diversas outras práticas ilegais. "Ele segue com suas ameaças, ataca a urna, a eleição, a vacina do Butantan, tira máscara de criança, coloca general no palanque, deixa o Ministério da Defesa gastar dinheiro do SUS. E o que acontece? Nada. O povo está cansado disso", completa o pedetista.

Mais cedo, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) compartilhou um vídeo nas redes sociais onde compila uma série de entrevistas em que menciona o envolvimento do presidente na prática de rachadinha. Nos materiais, o presidenciável alerta sobre os esquemas de Bolsonaro, enquanto ainda era parlamentar.

Nas redes sociais, o deputado e líder do PDT no Ceará, André Figueiredo, compartilhou uma charge com as mesmas críticas ao presidente. Na imagem, Bolsonaro aparece junto aos filhos com roupas de presidiários. 

"É algo que, a meu ver, serve mais de uma comprovação de envolvimento do presidente do esquema e que todos já sabiam e sabem que, na verdade, eles são pessoas que utilizaram os seus gabinetes e suas estruturas como uma forma de enriquecimento pessoal", avalia o deputado federal José Airton (PT). O petista alega que já há comprovação o suficiente de que Queiroz era o operador da arrecadação que distribuída o dinheiro para os interessados, inclusive Michele Bolsonaro, esposa do presidente. 

Para o deputado Célio Studart (PV), as acusações levam a mais um desgaste na imagem do presidente que, segundo ele, sistematicamente, precisa responder sobre denúncias de corrupção que envolvem seu mandato anterior, na Câmara dos Deputados, ou implicam diretamente membros do seu governo. "É necessário que se façam as investigações pertinentes, com eficiência e celeridade. Certamente agrava-se ainda mais a crise política em que o presidente está inserido", avalia.