PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Saiba quem é Eduardo Leite, governador gaúcho que assumiu homossexualidade

Em 2018, Eduardo Leite foi eleito governador do Rio Grande do Sul com 53,40% dos votos válidos

Filipe Pereira
15:55 | 02/07/2021
Saiba quem é Eduardo Leite, governador que assumiu homossexualidade (Foto: Reprodução/Facebook)
Saiba quem é Eduardo Leite, governador que assumiu homossexualidade (Foto: Reprodução/Facebook)

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), assumiu, nesta sexta-feira, 2, sua homossexualidade durante entrevista concedida ao jornalista Pedro Bial. Aos 36 anos, o gestor e presidente estadual do PSDB é o chefe de Estado mais jovem do País e aparece como um dos pré-candidatos à eleição para Presidência da República em 2021. 

Aos 33 anos, Eduardo Leite venceu no RS e se tornou o mais jovem governador do país
Aos 33 anos, Eduardo Leite venceu no RS e se tornou o mais jovem governador do país (Foto: Reprodução/Facebook)

Eleito governador do RS aos 33 anos, com 53,40% dos votos válidos, em 2018, Leite se tornou o mais jovem a ocupar o cargo desde a redemocratização. A carreira política do governador começou na Secretaria Municipal de Cidadania, em Pelotas, durante o mandato do então prefeito Bernardo de Souza (PMDB), morto em 2010. Depois, foi chefe de gabinete do prefeito Fetter Júnior (PP). Em 2008, Leite foi eleito vereador e, na eleição seguinte, prefeito, aos 27 anos. 

Leite foi presidente do Grêmio Estudantil do Colégio São José. Aos 19 anos, concorreu ao cargo de vereador, obteve 2.937 votos e ficou na primeira suplência. Foi, então, convidado para integrar a Secretaria Municipal de Cidadania. Posteriormente, foi chefe de gabinete da prefeitura. Leite deixou o cargo para assumir o mandato de vereador e foi reeleito em 2008, tornando-se líder da bancada do PSDB na Câmara Municipal.

Desde novembro do ano passado, é presidente estadual do PSDB gaúcho. Formado em Direito pela Universidade Federal de Pelotas, estudou Gestão Pública na Universidade de Columbia (EUA) e fez mestrado em Gestão e Políticas Públicas na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo.

Desde que assumiu o governo gaúcho – que enfrenta uma das piores realidades fiscais do país –, Leite vem  defendendo uma agenda de privatizações e concessões à iniciativa privada, além de reforma administrativa para tentar tirar o estado do vermelho. Em março deste ano, o governador anunciou a privatização da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). Segundo ele, o gesto é uma oportunidade para elevar a eficiência da companhia.

Em dezembro de 2020, o tucano conseguiu aprovar alíquotas de contribuição que passarão a ser cobradas de servidores já aposentados. Antes, recebeu também o aval da Assembleia Legislativa para privatizar estatais, incluindo a CEEE, companhia estadual de energia. Críticos enxergam as medidas como antigas, semelhantes à gestão anterior, de José Ivo Sartori (MDB), e a de Antônio Britto (MDB).

Atualmente crítico do governo federal, Eduardo declarou voto em Jair Bolsonaro no 2º turno nas eleições de 2018. Em vídeo divulgado nas redes sociais, o tucano afirmou que jamais votou no PT, que tinha como candidato Fernando Haddad, e que não seria naquelas eleições que ele faria isso.

Eleições 2022

Em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, o tucano disse ser "um pré-candidato a pré-candidato". Eduardo Leite afirmou ainda que se posiciona "com interesse e disposição de ajudar" e que foi "provocado por lideranças partidárias, deputados do PSDB" que o procuraram. "Entendem que eu tenho algo a oferecer, apresentar".

Eduardo Leite e João Dória
Eduardo Leite e João Dória (Foto: Reprodução/RS)

Além de Eduardo Leite, o PSDB tem como pré-candidatos o governador de São Paulo, João Doria, o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio e o senador Tasso Jereissati, do Ceará. O início dos debates entre os candidatos será em outubro e as prévias em novembro.

Em fevereiro deste ano, o tucano disse, em entrevista à Rádio Gaúcha, que ele e o governador de São Paulo têm mais convergências do que motivos para embates. "O que nos une é maior do que o que nos separa", afirmou. Ele também afirmou que a participação de Tasso em uma eventual prévia eleitoral no PSDB é bem-vinda. 

Coronavírus e vacinação

O governador comanda o Rio Grande do Sul em meio ao combate a pandemia do coronavírus. Depois de o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), chamar o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de “pai da vacina”, Leite entrou na onda de enaltecimento da vacina e também acelerou o calendário de imunização contra a Covid-19.

Na última semana, Leite estimou vacinar até dia 20 de setembro toda a população do estado, acima de 18 anos, com a primeira dose da vacina contra a Covid. O anúncio foi feito durante uma transmissão ao vivo. Eduardo Leite divulgou as datas de vacinação por idade. 

 

Em abril, durante entrevista à Rádio Gaúcha, Leite criticou as informações divulgadas pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, de que o estado estaria retendo doses de vacinas contra covid-19 e iniciou um bate boca com o integrante do governo do presidente Jair Bolsonaro. Também houve críticas ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL).