Participamos do

Bolsonaro diz não se preocupar com CPI e Lula e pede que governadores "não estiquem a corda" 

Na Bahia, o presidente da República voltou a ameaçar usar as Forças Armadas para impedir a adoção de medidas restritivas por governadores
15:57 | Abr. 26, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira, 26, em entrevista à imprensa após a inauguração da duplicação de um trecho de rodovia na Bahia, que não se preocupa com a CPI da Covid e com uma possível entrada do ex-presidente Lula (PT) no páreo eleitoral em 2022. Ele também voltou a  criticar governadores que adotam medidas restritivas para evitar a disseminação da pandemia.

"Não estou preocupado porque não devemos nada", afirmou o presidente sobre a CPI. A comissão, que apresenta minoria entre os governistas, deve investigar ações e omissões do governo federal, além de repasses para os estados, durante a pandemia.

Bolsonaro voltou mencionar o papel das Forças Armadas como forma de atacar governadores que adotam medidas restritivas. "[Os governadores] estão seguindo o artigo quinto da Constituição? Está sendo respeitado o direito de ir e vir, o direito de a pessoa ter um emprego, ocupar o tempo para exercitar a sua fé? É só ver se isso está sendo respeitado ou não", disse.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Questionado sobre a real possibilidade de usar as Forças contra governadores, o mandatário respondeu:  "Não estiquem a corda mais do que está esticada". "É inconcebível os direitos que alguns prefeitos e govenadores tiveram por parte do STF. É inconcebível. Nem estado de sítio tem isso", completou, também em tom crítico ao Supremo Tribunal Federal. 

O presidente ainda agrediu verbalmente uma repórter, que o questionou sobre o fato de ele ter posado para uma foto em Manaus com uma placa escrito "CPF cancelado", que faz referência a pessoas que foram mortas.

Sobre as eleições de 2022, disse que não está preocupado com uma possível candidatura de oposição do ex-presidente Lula. "Eu não estou preocupado com Lula. Minha preocupação é com o Brasil. Se a pessoa votar em pessoa com o passado de Lula, essa é uma pessoa que não entende nada de política e nem da liberdade dele. Veja os outros países da América Latina onde a turma do Foro de São Paulo voltou", disse.

As manifestações polêmicas sobre as mediadas restritivas e as críticas aos governadores acontecem durante uma fase de temor do governo federal pelos desdobramentos da CPI da Covid, que será instalada no Senado nesta terça-feira, 27. Na última sexta-feira, 26, o Planalto pediu a vários ministérios um relatório de todas as ações tomadas no combate à pandemia, principalmente em relação a temas mais sensíveis que podem ser questionados pela comissão. 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags