PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Deputados apresentam moção de apoio a Camilo Santana após ameaças de morte

O presidente da Casa, deputado Evandro Leitão (PDT), pediu que todos os parlamentares, da base e da oposição, assinem o documento

11:08 | 30/03/2021
Fortaleza em 01 de fevereiro de 2021, Solenidade de abertura dos trabalhos do legislativo estadual, no plénario 13 de maio, na sede da assembleia legislativa do ceara. Em destaque o presidente da casa Evandro Leitão discursando. (Foto: Paulo Rocha) (Foto: Paulo Rocha/Assembleia Legislativa)
Fortaleza em 01 de fevereiro de 2021, Solenidade de abertura dos trabalhos do legislativo estadual, no plénario 13 de maio, na sede da assembleia legislativa do ceara. Em destaque o presidente da casa Evandro Leitão discursando. (Foto: Paulo Rocha) (Foto: Paulo Rocha/Assembleia Legislativa)

A Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE) discute, durante a sessão desta terça-feira, 30, moção de apoio ao governador Camilo Santana (PT), que foi alvo de ameaças de morte nos últimos dias. De acordo com o presidente da Casa, deputado Evandro Leitão (PDT), ao menos duas moções de apoio foram apresentadas; uma pelo deputado Julio Cesar Filho (Cidadania) e outra pelo deputado Acrísio Sena (PT).

“A maior autoridade do Estado, o governador, representa todos os cearenses. Temos que combater esse tipo de atitude que, como disse agora há pouco, vem de um pequeno grupo; um grupo minoritário. Mas nós não podemos nos calar”, disse Leitão, pedindo que todos os parlamentares, da base e da oposição, assinem o documento.

O líder do governo, Julio Cesar Filho, classificou a atitude como “inadmissível” em uma democracia. "Apresento esta moção para repudiar qualquer ameaça ou ato de violência e manifestar minha total solidariedade ao governador. Esses atos de intimidação são prejudiciais ao processo democrático, sobretudo, neste momento no qual vivenciamos uma grave pandemia que, lamentavelmente, já ultrapassou os 300 mil mortos no Brasil", destacou.

Durante a sessão, o deputado Tony Brito (Pros), da oposição, repudiou as ameaças. "Não compactuamos com essa violência desenfreada que vem ocorrendo na internet e que vem impactando na política nos últimos anos. Estou aqui para me somar à moção. É inadmissível que se ameace o governador ou qualquer parlamentar", pontuou, destacando que há mecanismos legais para contestar quaisquer medidas tomadas pelo governo.

A Polícia Civil do Ceará abriu inquérito para investigar as denúncias e adotar as medidas cabíveis para conter ameaças contra o chefe do Executivo cearense.