PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Perdeu o pronunciamento de Jair Bolsonaro hoje? Assista aqui à transmissão

Às 20 horas e 30 minutos de hoje, terça, 23 de março (23/03), o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento em transmissão na TV e na rádio. Assista

18:23 | 23/03/2021
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro será hoje, às 20 horas e 30 minutos; você pode assistir à transmissão vivo pela TV (Foto: TV Brasil)
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro será hoje, às 20 horas e 30 minutos; você pode assistir à transmissão vivo pela TV (Foto: TV Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento hoje, terça, 23 de março (23/03), às 20 horas e 30 minutos (horário de Brasília). O comunicado que havia sido gravado teve transmissão na TV e rádio em cadeia nacional - em todos os canais abertos de televisão. Assista clicando aqui ou no player abaixo.

Bolsonaro disse que o governo pretende fazer de 2021 o “ano da vacinação de todos os brasileiros”. A fala ocorreu poucas horas após o Brasil registrar a pior marca de mortes por Covid-19 desde o início da pandemia, com 3.128 óbitos apenas nas últimas 24 horas.

Em tom diferente do que vinha adotando nos últimos pronunciamentos, o presidente abriu falando dos desafios da nova variante da Covid-19 no País, se "solidarizou com todos aqueles que tiveram perdas" e disse que sempre defendeu vacinas, desde que fossem aprovadas pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Leia mais:

"Estamos no momento de uma nova variante do coronavírus, que infelizmente tem tirado a vida de muitos brasileiros. Desde o começo, eu falei que nós tínhamos dois grandes desafios: o vírus e o desemprego. E, em nenhum momento, o governo deixou de tomar medidas importantes tanto para combater o coronavírus, tanto para combater o caos na economia", diz Bolsonaro.

Em breve pronunciamento, de apenas cerca de cinco minutos, o presidente disse que, até o final do ano, está garantida a chegada de 500 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 no País. O pronunciamento marca uma mudança no tom do presidente em diversos pontos relacionados à pandemia.

Nas últimas semanas, o País registrou recordes no número de mortes e casos da doença. E, em meio à falta de leitos, de medicamentos para intubação e de um lento processo de vacinação, o presidente trocou o comando do Ministério da Saúde. O cardiologista Marcelo Queiroga foi empossado e nomeado nesta terça-feira.

Com informações de Carlos Mazza