PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Líder do PDT, Brizzi critica protestos e fala que afastamento de Camilo é ideia "surreal"

Para o pedetista, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comete um desserviço ao ir na contramão das orientações chanceladas pela comunidade científica

Carlos Holanda
20:44 | 15/03/2021
Júlio Brizzi é líder do PDT (Foto: Divulgação)
Júlio Brizzi é líder do PDT (Foto: Divulgação)

O líder do PDT na Câmara Municipal de Fortaleza, Júlio Brizzi (PDT), afirmou ao O POVO que os protestos realizados domingo e nesta segunda-feira, 15, são um "tremendo equívoco" tanto do ponto de vista histórico como pela perspectiva da saúde.

"A gente está passando por uma crise que não se passa há muito tempo. As pessoas estão morrendo. Há um esforço tremendo do governador, do prefeito, dos profissionais de saúde, de quem está na ponta, que já vem há um ano nessa luta da pandemia", destacou Brizzi, para quem os bolsonaristas são representantes do "Partido a Favor da Covid". 

Para o pedetista, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comete um desserviço ao ir na contramão das orientações chanceladas pela comunidade científica, que apontam para o uso de máscaras e para o isolamento social, por exemplo.

"Ele estimula as pessoas a saírem de casa e fazerem protestos como esse de hoje, que ferem todas as regras sanitárias e colocam em risco a população, inclusive as pessoas que estão lá. Isso é terrível, horrível num momento como esse em que a gente precisa de união e responsabilidade", adicionou o pedetista.

Sobre a fala da vereadora Priscila Costa (PSC), que cogitou pedir abertura de impeachment de Camilo Santana (PT), o parlamentar rebateu, afirmando que a possiblidade é "surreal" e "ridícula".

"A não ser que a pessoa que a fez queira muito aparecer e, infelizmente, é dado espaço para esse tipo de manifestação."