Participamos do

Postagem de Olavo de Carvalho é excluída do Twitter por divulgar informações falsas

Após ação da plataforma de rede social, o guru bolsonarista afirmou que iria abandonar o site, mas não excluiu sua conta
00:00 | Jan. 20, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Estagiário de jornalismo
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As notícias falsas, conhecidas como Fake News, têm sido aos poucos combatidas pelas plataformas de redes sociais, meio por onde mais circulam. No combate a desinformação, o Twitter, que chegou a suspender a conta do ex-presidente americano Donald Trump, excluiu uma postagem feita pelo guru bolsonarista Olavo de Carvalho, por julgar que a publicação estava divulgando informações falsas.

Após ação da plataforma de rede social, na última segunda-feira, 18, o guru afirmou que iria abandonar o site, mas não excluiu sua conta até a publicação desta matéria. A postagem feita por Olavo de Carvalho trazia um site de conteúdo duvidoso tecendo considerações, sem provas ou fundamentos, de que as eleições norte-americanas que elegeram Joe Biden, no lugar de Donald Trump, haviam sido fraudadas.

As afirmações divulgadas pelo guru bolsonarista para os seus quase 500 mil seguidores foram feitas mesmo após o congresso, bem como o senado americano, descartar qualquer hipótese de fraude eleitoral nas eleições de 2020. “Segundo o Twitter, cometer fraude eleitoral é nada, ruim é noticiá-la”, afirmou em protesto, apesar de não haver comprovação alguma de que houve algum indício de fraude nas eleições presidenciais de 2020 nos Estados Unidos.

LEIA MAIS | Por violação às regras, conta de Donald Trump no Twitter é suspensa permanentemente

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“Estou caindo fora do Tuíts. Aquilo é a Cracolândia da internet. Pode enfiar a sua rede no…” afirmou Olavo no Facebook, em resposta a ação do Twitter. Na mesma publicação, ele afirma que seguirá atuando em outras redes sociais, onde continuou a propagar acusações, sem provas, de que as eleições americanas que expressaram uma derrota a Trump foram fraudadas.

O Twitter, somente neste ano, marcou uma postagem do Ministério da Saúde como “enganosa”, por ela afirmar que existem "tratamentos precoces para a Covid-19", quando não há qualquer comprovação científica sobre o assunto. A rede social também limitou o acesso a uma publicação sobre o mesmo tema e pela mesma razão, feito pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Ambos os conteúdos foram reprimidos por conduzirem ao erro e por induzirem informações falsas. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags