PUBLICIDADE
Política
Noticia

Ex-esposa de Lira, candidato a presidente da Câmara, o acusa de violência doméstica

Jullyene Lins, de 45 anos, afirmou ainda ter sido usada como laranja. "Ele abriu uma empresa com meu nome e até hoje não tenho vida fiscal." Os dois foram casados por dez anos e têm dois filhos

Gabriela Feitosa
14:13 | 15/01/2021
Arthur Lira (PP) esteve em Fortaleza para conversar com a bancada de deputados nesta quinta-feira, 14. (Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JÚLIO CAESAR)
Arthur Lira (PP) esteve em Fortaleza para conversar com a bancada de deputados nesta quinta-feira, 14. (Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JÚLIO CAESAR)

Jullyene Lins, ex-esposa do deputado Arthur lira (PP-AL), que está como candidato à presidência na Câmara e é favorito de Bolsonaro, está o acusando de violência doméstica por agressões e ameaças que sofreu no passado. Ela relatou todo o caso ao jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com Jullyene, Lira a agrediu fisicamente e depois a ameaçou para que mudasse um depoimento sobre acusações que ela havia feito contra ele. Os dois foram casados por dez anos e têm dois filhos. 

Conforme o jornal, na entrevista ela chorou quatro vezes e disse que Lira a fez mudar o seu depoimento no processo em que afirmou ter sido agredida pelo deputado, em 2006. Após esse recuo, Lira foi absolvido em 2015. “Me agrediu, me desferiu murro, soco, pontapé, me esganou”, disse. “Ele me disse que onde não há corpo, não há crime, que 'eu posso fazer qualquer coisa com você'”, afirmou. “Aquilo era o machismo puro, o sentimento de posse."

Ela afirmou ainda ter sido usada como laranja. “Ele abriu uma empresa com meu nome e até hoje não tenho vida fiscal.”

Ainda em outubro passado, ela solicitou à Justiça de Alagoas medidas protetivas contra o deputado. Conforme mostrou a Folha, o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu enviar à Vara de Violência Doméstica do Distrito Federal acusações feitas por ela sobre Lira em uma ação de injúria e difamação de 2020.

Resposta de Lira

Em nota assinada por seu advogado, Lira afirma que o conteúdo das declarações de sua ex-mulher é "requentado" e que ele foi absolvido das acusações dela pelo STF: "O resultado deste processo é de conhecimento público, inclusive, por parte deste veículo de comunicação, de forma que, a repetição e veiculação da falsa acusação, atrai a responsabilidade penal e cível não só de quem a pratica, mas também de quem a reproduz, ante a inequívoca ciência da sua falsidade", disse a nota assinada pelo advogado Fábio Ferrario.

Jullyene pede o enquadramento de Lira na Lei Maria da Penha e necessidade de proteção urgente. Ele recorre da decisão de Barroso, baseada em pedido da Procuradoria-Geral da República para que o caso fosse enviado a um juizado de Violência Doméstica.

LEIA TAMBÉM | Países registram aumento de violência doméstica durante período de quarentena; veja como denunciar casos no Ceará

LEIA TAMBÉM | Violência contra mulher na internet cresce na quarentena; saiba como se proteger e denunciar