PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"O Brasil vive tempos sombrios. Precisamos defender a vida e lutar pela democracia", diz Camilo

A declaração do governador cearense, pelas redes sociais neste domingo, foi feita após Bolsonaro participar de manifestação onde jornalistas foram agredidos. Apoiadores do presidente também Presidente atacaram verbalmente Sérgio Moro, STF e os presidentes da Câmara e do Senado

Gabriela Feitosa
17:13 | 03/05/2020
O desabafo do governador
O desabafo do governador (Foto: ilustrativo)

Após Bolsonaro participar de uma manifestação em favor de seu governo no início da tarde deste domingo, 3, o governador do Ceará, Camilo Santana se posicionou em suas redes sociais. Camilo criticou postura do presidente, afirmando que Bolsonaro estimulou a aglomeração "em meio a uma gravíssima pandemia". "Jornalistas agredidos no Dia da Liberdade de Imprensa. O Brasil vive tempos sombrios", declarou.

Santana ainda acrescentou que este é o momento em que a população mais precisa ser forte "para defender a vida e para lutar pela nossa democracia". A manifestação em favor do governo de Bolsonaro foi repleta de palavras de ordem contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Confira publicação de Camilo:

 

Na rampa do Palácio do Planalto e aos gritos de ‘mito’, ‘Moro traidor’, ‘não desista’ e ‘fechados com Bolsonaro’, o presidente afirmou em live que não irá mais admitir interferência em seu governo. "O que nós queremos é o melhor para o nosso País, a independência verdadeira dos três Poderes, não apenas uma letra da Constituição. Chega de interferência, não vamos mais admitir interferência, acabou a paciência. Vamos levar esse Brasil para frente", disse Bolsonaro.

Na mesma tarde, os manifestantes pró-Bolsonaro agrediram, ameaçaram e expulsaram jornalistas que cobriam o ato.

Enquanto o presidente acenava para apoiadores, o grupo passou a dirigir ofensas ao repórter fotográfico Dida Sampaio, de O Estado de S. Paulo, que registrava o momento.

Um grupo se formou ao redor do fotógrafo, que foi derrubado por duas vezes e chutado pelas costas, além de tomar um soco no estômago. Além dele, o motorista do jornal, Marcos Pereira, também foi agredido.

Outros repórteres e profissionais de imprensa foram então empurrados e ofendidos verbalmente, incluindo os da Folha de S.Paulo.

Ao mesmo tempo, Bolsonaro foi alertado, segundo imagens transmitidas pela live de sua rede social, da confusão envolvendo jornalistas.

Ele prestigiou pessoalmente a manifestação de apoiadores a ele e com críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Congresso Nacional. "Expulsaram os repórteres da Globo, expulsaram os repórteres", disse uma pessoa ao presidente. Bolsonaro então respondeu: "Pessoal da Globo vem aqui falar besteira. Essa TV foi longe demais", disse, sem repudiar as agressões aos repórteres.

LEIA MAIS: No dia da Liberdade de Imprensa, manifestantes pró-Bolsonaro agridem e ameaçam jornalistas em ato no Planalto