PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Bolsonaro veta dispensa de atestado médico a empregados

Proposta evitava o contato com trabalhadores doentes e deslocamento para a entrega dos atestados. Congresso analisa o veto

Luana Façanha
17:20 | 23/04/2020
Segundo Bolsonaro, o texto apresenta "contrariedade ao interesse público"
Segundo Bolsonaro, o texto apresenta "contrariedade ao interesse público" (Foto: ARQUIVO)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), vetou nesta quinta-feira, 23, a dispensa por sete dias da obrigação de apresentação de atestado médico pelo empregado, aprovada no dia 31 de março pelo Senado. A medida buscava evitar que pessoas doentes precisassem sair de casa para entregar o documento ao empregador, enquanto durar o estado de calamidade pública pela atual pandemia de coronavírus.

O projeto indicava que o trabalhador deveria informar ao empregador em caso de diagnóstico de Covid-19, iniciando a quarentena, quando ficaria dispensado por sete dias de apresentar o atestado para evitar contaminação dos demais colegas de trabalho. Segundo Bolsonaro, o texto apresenta “contrariedade ao interesse público" e, conforme o Ministério da Saúde, a proposta gera “insegurança jurídica” por tratar a quarentena de forma imprecisa ao compará-la ao isolamento.

O veto ainda está em análise pelo Congresso, com a possibilidade de derrubá-lo, mas sem previsão para o início da votação.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >