PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Major Olímpio é contra anistia para policiais amotinados

De acordo com o senador de São Paulo, "anistia desencadearia sentimento de impunidade em todo o País"

15:09 | 21/02/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 21-02-2020: Senadores  do Sernado Federal do Brasil, em entrevista no Hotel Praia Centro, na Praia de Iracema. (Foto: Mauri Melo/O POVO).
FORTALEZA, CE, BRASIL, 21-02-2020: Senadores do Sernado Federal do Brasil, em entrevista no Hotel Praia Centro, na Praia de Iracema. (Foto: Mauri Melo/O POVO). (Foto: MAURI MELO/O POVO)

O senador Major Olímpio (PSL-SP), parte de um grupo de senadores que tenta mediar o conflito entre o Governo do Ceará e policiais militares amotinados em batalhões e quartéis, disse nessa sexta-feira, 21, que é contra a anistia para os agentes. De acordo com o parlamentar, a anistia "desencadearia um sentimento de impunidade no País”.

Declaração foi dada durante coletiva de imprensa com outros dois senadores, Eduardo Girão (Podemos-CE) e Elmano Férrer (Podemos-PI). A anistia é a primeira demanda dos manifestantes. Os senadores entendem que os militares deveriam ceder.

Na tarde dessa sexta, parlamentares devem se reunir com o general Cunha Mattos, comandante da 10ª Região Militar e responsável pelo controle operacional dos órgãos de segurança pública desde que o decreto de Garantia da Lei e da Ordem, decretado pelo presidente Jair Bolsonaro, entrou em vigor.

O governador Camilo Santana (PT), disse que o limite de negociação teria sido o último acordo, firmado no último dia 13 de fevereiro. O governador classifica como “inegociável’ a anistia para policiais amotinados.