PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Wagner se reúne com secretário da Segurança para pedir abertura de diálogo com governo

"A nossa expectativa é que essa conversa possa abrir um canal de diálogo. A situação tem causado tensão no estado todo, sociedade, governo e policiais estão tensos", comentou o parlamentar

Izadora Paula
17:49 | 20/02/2020
Capitão Wagner (Pros) e os deputados federais Major Fabiana (PSL-RJ) e Capitão Alberto Neto (PRB-AM) mostram Boletim de Ocorrência registrado contra o senador Cid Gomes (PDT)
Capitão Wagner (Pros) e os deputados federais Major Fabiana (PSL-RJ) e Capitão Alberto Neto (PRB-AM) mostram Boletim de Ocorrência registrado contra o senador Cid Gomes (PDT) (Foto: Reprodução/Vídeo)

O deputado federal Capitão Wagner (Pros) reuniu-se nesta quinta-feira, 20, com o titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, em tentativa de diálogo sobre a reestruturação salarial de militares no Estado. "A nossa expectativa é que essa conversa possa abrir um canal de diálogo. A situação tem causado tensão no estado todo, sociedade, governo e policiais estão tensos", comentou o parlamentar.

Leia mais: Acompanhe o noticiário sobre a paralisação de policiais militares do Ceará

Além de André Costa, estiveram presentes na reunião o coronel Paulo Sérgio, secretário adjunto da SSPDS, e os deputados federais Major Fabiana (PSL-RJ) e Capitão Alberto Neto (PRB-AM), além de um representante do Ministério dos Direitos Humanos.

"A reunião foi uma solicitação de abertura de diálogo. Neste momento, tem que haver um aceno por parte do governo para que alguém possa ceder. A partir de ontem, os ânimos se acirraram. O governador não nos recebe, acredito que por causa do que aconteceu ontem", contou o deputado em entrevista ao O POVO. Segundo Wagner, André Costa afirmou que entraria em contato com o governador para obter autorização para ouvir a pauta dos manifestantes.

A reunião ocorre após incidente com ex-governador e senador Cid Gomes (PDT), quando ele usou uma retroescavadeira para tentar invadir um quartel da Polícia Militar em Sobral e foi baleado por integrantes da manifestação. O deputado cearense, inclusive, registrou um Boletim de Ocorrência (BO) contra o senador, por tentativa de homicídio.

Para Wagner, o ato de Cid foi irresponsável e premeditado. "Ele convocou a população para esperá-lo no aeroporto. Cid disse que estava em missão de paz, mas conduzia uma retroescavadeira que sequer tem habilitação para conduzir", colocou.

Ouça a análise no podcast:

Listen to "#71 - Quem ganha e quem perde com a disputa entre policiais e governo Camilo?" on Spreaker.