PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Parlamentares protocolam pedido de impeachment do ministro da Educação

O documento foi protocolado por cinco parlamentares e assinado por outros 24 políticos

Catalina Leite
11:38 | 06/02/2020
O pedido de impeachment também menciona a violação do princípio da impessoalidade pelo comportamento do ministro no Twitter.
O pedido de impeachment também menciona a violação do princípio da impessoalidade pelo comportamento do ministro no Twitter. (Foto: Agência Brasil)

Cinco parlamentares da comissão externa de acompanhamento dos trabalhos do Ministério da Educação (MEC) protocolaram pedido de impeachment do ministro Abraham Weintraub nesta quarta-feira, 5.

O documento protocolado no Supremo Tribunal Federal (STF) aponta ineficiência do ministro na gestão das políticas de alfabetização, erros na correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a não utilização de R$ 1 bilhão de fundo resgatado pela Lava Jato para correção das provas.

Os parlamentares também criticam e pedem investigação de atos incompatíveis com o decoro, honra e dignidade da função. Ainda mencionam a violação do princípio da impessoalidade em razão de Weintraub ter aceitado pedido via Twitter de correção da prova da filha de um apoiador do governo Bolsonaro.

Os responsáveis pelo pedido foram a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), os deputados federais Felipe Rigoni (PSB-ES) e João Henrique Campos (PSB-PE) e os senadores Alessandro Vieira (Cidadania) e Fabiano Contarato (Rede). O documento contou com assinatura de mais 24 parlamentares. As informações são da revista Exame.