PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Rodrigo Maia defende afastamento de Alvim após propaganda inspirada no nazismo

O secretário da Cultura, que é dramaturgo, defendeu-se, no Facebook. "O que a esquerda está fazendo é uma falácia de associação remota com uma coincidência retórica"

Lucas Braga
10:23 | 17/01/2020
RODRIGO MAIA, presidente da Câmara, criticou a postura de Alvim
RODRIGO MAIA, presidente da Câmara, criticou a postura de Alvim (Foto: AFP)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu no Twitter o afastamento "urgente" de Roberto Alvim do cargo de Secretário Especial da Cultura. 

Alvim inspirou-se na propaganda nazista ao lançar o Prêmio Nacional das Artes, nesta quinta-feira, 16. Ele parafraseou famoso discurso do ministro da Propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels. Leia aqui.

A postura e entonação de Alvim também são semelhantes à publicidade hitlerista, assim como a ornamentação da sala e a trilha sonora: a ópera "Lohengrin", de Wagner, obra que Hitler afirmou ter sido decisiva em sua vida.

O secretário da Cultura, que é dramaturgo, defendeu-se, no Facebook. "O que a esquerda está fazendo é uma falácia de associação remota com uma coincidência retórica em UMA frase sobre nacionalismo em arte, estão tentando desacreditar todo o Prêmio Nacional das Artes. É típico dessa corja".

A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será nada”, disse Alvim, solene e entusiasmadamente.

O discurso de Goebbels feito em 8 de maio de de 1933, em Berlim, para diretores de teatro dizia: “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos [potência emocional] e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”, conforme o livro “Goebbels: Uma biografia” (Ed. Objetiva), de 2014, do historiador alemão Peter Longerich.

Charge de Laerte divulgada nesta sexta:

Charge de Laerte
Charge de Laerte (Foto: LAERTE/REPRODUÇÃO)

Prêmio Nacional das Artes

Durante o vídeo, o secretário anuncia o Prêmio Nacional das Artes. A iniciativa irá destinar mais de R$ 20 milhões para fomentar a produção artística nas cinco regiões brasileiras. Há sete categorias. O edital, a ser publicado na próxima semana no Diário Oficial da União e no site da Secretaria Especial da Cultura, selecionará cinco óperas, 25 espetáculos teatrais, 25 exposições individuais de pintura e 25 de escultura, 25 contos inéditos, 25 CDs musicais originais e 15 propostas de histórias em quadrinhos.

Segundo ele, o Prêmio Nacional das Artes vai gerar milhares de empregos, capacitação profissional e formação de público. "Trata-se de um marco histórico nas artes brasileiras. De relevância imensurável. E sua implementação e perpetuação ao longo dos próximos anos irá redefinir a qualidade da produção cultural em nosso país", completou.

Outras polêmicas de Alvim

Dramaturgo, Alvim ganhou a simpatia de Bolsonaro ao defender o presidente nas redes sociais e ao atacar a atriz Fernanda Montenegro, dizendo sentir "desprezo" por ela.

Na Secretaria Especial da Cultura, coleciona polêmicas, como a nomeação do jornalista e militante de direita Sérgio Nascimento de Camargo para a presidente da Fundação Palmares. A nomeação foi suspensa após uma grande mobilização contra afirmações de Camargo consideradas racistas.

Esta semana, Alvim ironizou a indicação de "Democracia em Vertigem" na categoria de melhor documentário longa-metragem do Oscar dizendo que a produção deveria estar na categoria ficção. Dirigido pela cineasta mineira Petra Costa, o filme acompanha o impeachment de Dilma Rousseff a partir de uma visão particular da diretora.