PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Em live, Eduardo Bolsonaro critica Major Olimpio e Joice Hasselmann

20:21 | 25/10/2019
Por uma live no Instagram, o atual líder do PSL na Câmara dos Deputados, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), disparou críticas a parlamentares do partido que não estão alinhados com a sua liderança. Eduardo, que é o terceiro filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), se referiu ao grupo como seus "desafetos" e o acusou de traição ao presidente. As falas foram veiculadas na tarde desta sexta-feira, 25.
As críticas mais pesadas foram dirigidas ao senador Major Olimpio (PSL-SP) e à deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), ex-líder do governo no Congresso. Ao citar a deputada, Eduardo disse que "o povo não gosta de traíras, o povo não gosta de pessoas maliciosas".
"Eles foram eleitos falando que são bolsonaristas, que seguem o presidente, mas agora eles não querem seguir o presidente. Por qual motivo, Joice Hasselmann, Major Olimpio, o outro deputado que eu nem sabia que existia, Abou Anni (PSL-SP), Júnior Bozzella (PSL-SP)?", provocou Eduardo.
Ele ainda disse que seus "desafetos" estão "plantando materiazinhas na imprensa para dizer que a família do presidente se dá bem às custas de dinheiro público", em referência a uma reportagem da revista IstoÉ que o acusa de usar dinheiro do partido para pagar passagens aéreas em sua lua de mel.
Para Eduardo, o racha que vive hoje o PSL fez "máscaras caírem" antes que o grupo diversionista conseguisse "ludibriar novamente as pessoas", citando nominalmente o senador Major Olimpio, que trava com ele uma disputa pelo comando da sigla no diretório paulista. O PSL de São Paulo já foi presidido pelo senador e atualmente é liderado pelo deputado. "Eu nunca quis ser presidente do PSL em São Paulo, ele saiu porque quis", falou Eduardo.
Por fim, o parlamentar se referiu a Joice Hasselmann, que tenta disputar a Prefeitura de São Paulo pelo PSL, como uma "senhora amargurada que tomou um pé na ... depois de sair da liderança do governo porque não conseguia seguir as ordens do presidente". "Você não é confiável, Joice, você anda com o governador de São Paulo, o tucano João Doria e agora nem o Doria quer você", completou Eduardo, em referência ao apoio do governador à reeleição de Bruno Covas (PSDB).