PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Checagem O POVO: Projeto de Lei de vereador de Fortaleza não aborda "ideologia de gênero"

Os boatos foram divulgados pela vereadora Priscila Costa (PRTB) em entrevista ao programa O POVO no Rádio, da Rádio O POVO CBN, na manhã desta sexta-feira

13:59 | 25/10/2019
Evaldo Lima frisou que o Projeto de Lei aborda apenas a liberdade de cátedra, princípio que garante um pluralismo de idéias e concepções no ensino.
Evaldo Lima frisou que o Projeto de Lei aborda apenas a liberdade de cátedra, princípio que garante um pluralismo de idéias e concepções no ensino. (Foto: Tatiana Fortes/O POVO)

Uma falsa informação de que o Projeto de Lei 524/2018, de autoria do vereador de Fortaleza Evaldo Lima (PCdoB), trataria sobre “ideologia de gênero”, está sendo divulgada pela também vereadora Priscila Costa (PRTB). O POVO Online verificou e nenhum artigo do documento, disponibilizado no site da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), aborda o assunto.

Em entrevista ao programa O POVO no Rádio, da Rádio O POVO CBN, na manhã desta sexta-feira, 25, Priscila Costa afirmou que o vereador propôs no projeto que a “ideologia de gênero”, expressão usada pelos críticos da ideia de que os gêneros são construções sociais, seja ensinada nas escolas.

O argumento da parlamentar é que uma emenda do vereador Jorge Pinheiro (DC), que proibiria o ensino desse conteúdo nas instituições de ensino, não foi incorporada ao projeto. Ela ainda disse que o principal interessado na aprovação do projeto seria o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Fortaleza (Sindiute), que lançou nota sobre a proposta de emenda.

“Aos professores da rede municipal de Fortaleza e ao Sindiute, toda a nossa solidariedade. Estaremos sempre juntos quando a luta for por uma Educação Pública de qualidade, livre, laica e desprovida de preconceito”, ressalta a nota.

Evaldo Lima, também em entrevista à Rádio O POVO CBN, frisou que o Projeto de Lei aborda apenas a liberdade de cátedra, princípio que garante um pluralismo de idéias e concepções no ensino. “Isso é um discurso baseado em fake news (o da vereadora Priscila Costa). Nosso projeto é essencialmente valorizar o professor e valorizar a educação”, ponderou.