PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Justiça atende pedido da PF e autoriza transferência de Lula para São Paulo

Defesa do ex-presidente também havia solicitado que o político cumprisse o restante da pena em presídio paulista

09:53 | 07/08/2019
Ex-presidente Lula na Superintendência da PF em Curitiba
Ex-presidente Lula na Superintendência da PF em Curitiba(Foto: Franklin De FREITAS / AFP)

A juíza Carolina Lebbos autorizou a transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para São Paulo. O pedido havia sido impetrado pela Superintendência da Polícia Federal em Curitiba e reforçado pela própria defesa do petista. O político está preso no local desde abril do ano passado, onde cumpre pena após condenação na Lava Jato. 

A PF argumenta que, desde a prisão do político, diversas pessoas passaram a se aglomerar no entorno da sede da PF, inclusive com a presença de "grupos antagônicos", o que passou a demandar atuação permanente dos órgãos de segurança de forma a evitar confrontos.

A Superintendência diz ainda que toda a região no entorno do local teve a rotina alterada e que as dependências de custódia de presos da unidade policial são muito limitadas e não se destinam à execução de penas ou mesmo à permanência regular de presos. "O caso ainda demandou a adaptação de parte da estrutura para adequar o espaço ocupado pelo preso, tendo em vista os parâmetros estabelecidos pelo Juízo da condenação", aponta o órgão.

"Há comprometimento de parte relevante do efetivo da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR, movimentado para a composição de escalas de reforço na segurança da sede e de seu entorno; que há necessidade de mobilização de efetivo de outras unidades para reforço da segurança e manutenção de serviços da unidade policial, gerando prejuízos nas unidades de origem e sobrecarga de gastos da unidade gestora", continua a PF. 

A decisão de Lebbos tem 16 páginas. Ela considera "pertinente" a transferência para São Paulo, "onde em princípio poderá o executado ser custodiado com a segurança necessária ao caso, em condições adequadas e em atendimento ao interesse público, nos termos acima expostos".