PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

A pedido de Flávio Bolsonaro, Toffoli suspende investigações com dados bancários sem permissão judicial

A medida paralisa todas as investigações com dados compartilhados por Receita Federal, Banco Central e Coaf com Ministério Público sem autorização judicial prévia

13:06 | 16/07/2019
Flávio Bolsonaro e Queiroz são investigados
Flávio Bolsonaro e Queiroz são investigados(Foto: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM)

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu nessa segunda-feira, 15, o pedido da defesa de Flávio Bolsonaro e suspendeu todas as investigações do Brasil em que dados bancários e fiscais do contribuintes foram compartilhados sem autorização prévia do Poder Judiciário. A medida aplica-se aos dados compartilhados por órgãos de controle, entre eles o Conselho de Controle de Atividades Financeiras(Coaf).

A decisão não expressa explicitamente se haverá impacto sobre as investigações contra Flávio Bolsonaro. Caso haja, um dos desdobramentos da decisão é a paralisação da investigação contra o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, que corre no Ministério Público do Rio de Janeiro. Esse caso envolve o ex-assessor Fabrício Queiroz.

Queiroz e outros assessores são acusados de arrecadar ilegalmente dinheiro utilizado na campanha de Flávio. O montante é oriundo de transações suspeitas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Além da Coaf, a decisão abarca os dados divulgados pela Receita Federal e pelo Banco Central.

Redação O POVO Online