PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Quem receberá os impactos da Reforma da Previdência?

|cartola| Dentre os inúmeros artigos que integram a PEC que poderá alterar o sistema previdenciário brasileiro, estão determinações que podem modificar o futuro de inúmeros brasileiros, que começam a se preparar para isso

22:24 | 13/07/2019

Pouco mais de quatro meses depois do início da tramitação na Câmara dos Deputados, os deputados federais aprovaram em primeiro turno o texto vindo do Executivo Federal com as modificações feitas pela comissão especial e pelos destaques dos próprios parlamentares. Existe ainda um longo caminho para a matéria dentro do Congresso Nacional, mas quem será impactado pelo texto começa a projetar como as mudanças coletivas afetam o futuro individual.

Apesar disso, sobram respostas incertas de quem ainda não sabe muito bem como fica a própria aposentadoria. "As pessoas costumam se preocupar com a previdência apenas quando estão velhas, porque nós não temos uma educação previdenciária", explica a professora de contabilidade previdenciária da Universidade de Brasília, Diana Lima. "Agora, se trouxe a discussão para dentro da vida das pessoas e elas não estavam preparadas", continua.

O desconhecimento transforma-se em susto, considera Lima, principalmente com o conflito entre os discursos de parlamentares que se posicionam contra ou a favor da reforma. O impacto individual, que não pode ser esquecido, tem que ficar balanceado com o ponto de vista coletivo, na qual a proposta deve impactar de maneira positiva. "Nós temos um modelo de previdência solidário, na qual uma geração banca a outra", argumenta Lima e completa: "a reforma é importante para a sustentabilidade do sistema, para garantir que no futuro a gente continue tendo sistema previdenciário".

Agora, a pressa dominante na Câmara Federal, esmaneceu. A segunda discussão necessária para que a proposta possa ser levada para avaliação dos senadores deve ocorrer apenas no dia 6 de agosto, apesar de todo o esforço do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM), para que as duas votações tivessem ocorrido antes do recesso parlamentar.

Resta, então, mais um tempo para tentar "absorver" do que se trata a Reforma, como disse a assistente social Jéssica Menezes - uma das entrevistadas desta reportagem - e como cada um será impactado pelas mudanças do sistema previdenciário. Para se preparar ou, até, para articular mudanças ainda possíveis nessa segunda fase de tramitação que em breve se inicia.

Leia mais nas páginas 

Luana Barros