Participamos do

Autoridades russas bloqueiam sites noticiosos e prendem milhares de manifestantes

O presidente russo, Vladimir Putin, sancionou uma lei que criminaliza a disseminação intencional de informações que Moscou considerar "falsas"
13:57 | Mar. 06, 2022
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em mais um ato para aumentar o controle sobre as informações que circulam na Rússia, autoridades do país bloquearam novas agências de notícias neste domingo. Na semana passada, outros meios de comunicação também foram bloqueados pelos russos. O domingo também é marcado pela prisão de centenas de manifestantes russos que realizaram atos contra a guerra na Ucrânia.

O presidente russo, Vladimir Putin, sancionou na sexta-feira um projeto de lei que criminaliza a disseminação intencional do que Moscou considera ser "falso". Os condenados pelo crime podem pegar até 15 anos de prisão.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na lista de meios de comunicação bloqueados neste domingo, estão: Mediazona, um site de notícias que abrange o sistema policial e judiciário da Rússia e tem divulgado informações sobre prisões políticas e processos judiciais de alto nível; o site 7x7 cobrindo notícias regionais; a ciência popular Variante Troitsky jornal que publicou carta aberta denunciando a invasão; e dois sites de notícias regionais que também se manifestaram contra o ataque.

A emissora financiada pelos Estados Unidos Radio Free Europe/Radio Liberty anunciou no domingo que estava suspendendo sua operação na Rússia depois de dizer que o país intensificou a pressão sobre seus jornalistas."Estávamos preparados para isso. Nos últimos dias, a censura militar foi efetivamente introduzida na Rússia, e quase não há meios de comunicação independentes no país'', disse o veículo.

Apesar dos esforços para controlar rigidamente a narrativa, os russos de todo o país se pronunciaram contra a guerra. Dezenas de milhares assinaram cartas e petições online pedindo o fim do conflito, além disso protestos de rua em dezenas de cidades russas acontecem quase diariamente desde que o ataque começou em 24 de fevereiro, sempre seguido por detenções em massa.

Hoje, os protestos se estenderam da Sibéria a São Petersburgo, com dezenas de russos tomando as ruas de diferentes cidades. De acordo com OVD-Info, um grupo de direitos humanos que rastreia prisões políticas, um total de 1.558 pessoas foram detidos em 43 cidades russas no domingo, parte das quase 10 mil pessoas detidas desde 24 de fevereiro.

(Com informações da Associated Press)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags