Participamos do

Talibã pede que Rússia e Ucrânia resolvam crise com "diálogo e meios pacíficos"

O grupo fundamentalista que reassumiu o controle do Afeganistão em agosto de 2021 é conhecido pelo seu histórico de violência e de violação dos direitos humanos
11:59 | Fev. 25, 2022
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O grupo fundamentalista Talibã, que retomou o controle do Afeganistão em agosto do ano passado após a saída atabalhoada de tropas dos Estados Unidos que ocupavam o país, divulgou nota nesta sexta-feira, 25, pedindo que a atual crise entre os governos da Rússia e da Ucrânia seja resolvida com “diálogo” e de maneira “pacífica”. O Talibã é reconhecido pelo seu histórico de violência e de violação dos direitos humanos.

“O Emirado Islâmico do Afeganistão pede a contenção das duas partes. Todos os lados precisam desistir de defender posicionamentos que podem intensificar a violência”, disse um representante do grupo em comunicado publicado nas redes sociais.

O Talibã disse ainda estar acompanhando de perto os desdobramentos da invasão russa à Ucrânia e expressou “preocupação” sobre a possibilidade de mortes de civis. O grupo chamou ambos os países a resolver a crise “através do diálogo e de meios pacíficos”.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags