Participamos do

Rússia x Ucrânia: Taiwan relata invasão de aeronaves chinesas em seu espaço aéreo

Oito caças chineses J-16 e um avião de reconhecimento Y-8 foram visualizados voando em uma área a Nordeste das Ilhas Pratas, geridas por Taiwan,
14:59 | Fev. 24, 2022
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ministério da Defesa de Taiwan informou nesta quinta-feira, 24, que nove aeronaves da China invadiram sua zona de defesa aérea. O anúncio ocorre no mesmo dia da invasão da Rússia à Ucrânia. Segundo o ministério, oito caças chineses e um avião de reconhecimento sobrevoaram uma área a Nordeste das Ilhas Pratas, controladas por Taiwan, no extremo superior do Mar do Sul da China.

LEIA MAIS: Entenda por que a Rússia decidiu invadir a Ucrânia

A informação é que oito caças chineses J-16 e um avião de reconhecimento Y-8 foram visualizados voando em uma área a Nordeste das Ilhas Pratas, geridas por Taiwan, no extremo superior do Mar do Sul da China.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segundo a pasta, aeronaves taiwanesas já foram enviadas para implantar mísseis de defesa aérea com o objetivo de “monitorar as atividades”. Taiwan reclama de atividades de aviões da China nos últimos dois anos, embora não se aproximem do país. Com a atividade desta quinta e a invasão na Ucrânia, o governo aumentou o nível de alerta.

Nesta quarta-feira, 23, o presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, condenou a Rússia por seu apoio às regiões controladas pelos separatistas na Ucrânia, afirmando que a crise está sendo usada para prejudicar o moral nesta ilha, há tempos sob ameaça de invasão por parte da China. A ilha acompanha de perto a situação na Ucrânia, já que a China reivindica soberania sobre Taiwan e prometeu que um dia retomará esse território - à força, se necessário.

A China aumentou a pressão militar, diplomática e econômica sobre Taiwan desde que Tsai Ing-wen chegou ao poder, em 2016, por sua rejeição à posição da China de que a ilha faz parte de seu território. "Nosso governo condena a violação, por parte da Rússia, da soberania da Ucrânia (...) e convoca todas as partes a continuarem a resolver suas disputas por meios pacíficos e racionais", declarou a presidente.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags