Participamos do

Paraguai levanta restrições sanitárias anticovid

13:06 | Fev. 22, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O governo do Paraguai anunciou nesta terça-feira (22) o levantamento de todas as restrições sanitárias para conter a pandemia de covid-19, exceto o uso de máscaras em locais fechados e espaços lotados.

"O uso de máscaras continuará em vigor e os esforços contra a covid-19 se concentrarão no reforço da campanha de vacinação", disse o porta-voz presidencial Hernán Hutteman, que justificou a medida pela "melhora da situação epidemiológica no país".

Hutteman esclareceu que o uso de máscaras, estabelecido por lei, continuará a ser obrigatório tanto em espaços fechados como em locais abertos onde o distanciamento não possa ser mantido.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O porta-voz afirmou que as medidas sanitárias adotadas pelo governo a partir de março de 2020 não serão mais prorrogadas. "Isso não significa que a situação de emergência acabou."

"Vamos focar no incentivo total à vacinação porque essa é a chave para sairmos disso, sem mais restrições para os cidadãos e sim vacinas", disse em conferência de imprensa no Palácio do Governo.

Ele informou que a exigência da carteira de vacinação com esquema completo continuará em vigor para quem entrar no país.

Os protocolos serão promovidos pelo Ministério da Saúde como recomendação e não obrigação. Coincidindo com o anúncio, o Ministério da Educação ordenou o retorno às aulas presenciais em todos os estabelecimentos de ensino primário, secundário e universitário.

"O PCR dos professores está eliminado, mas vamos continuar recomendando que todos sejam vacinados", anunciou o ministro da Educação, Manuel Brunetti.

O ministro da Saúde, Júlio Borba, disse que todas as crianças do ensino básico que frequentam as aulas, dos 5 aos 12 anos, serão vacinadas nas escolas.

"Dois anos se passaram, já sabemos conviver com o vírus e é responsabilidade de todos tentar sair dessa situação", observou o secretário de Estado.

hro/dga/jc

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags