Participamos do

Mulher conta que se separou do marido por ele ter tomado vacina contra a Covid

Foram iniciados nesta semana protestos contra a obrigatoriedade da vacinação na Nova Zelândia
10:55 | Fev. 11, 2022
Autor Mirtes Rodrigues
Foto do autor
Mirtes Rodrigues Estagiária
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Durante protestos antivacina em Wellington, na Nova Zelândia, uma manifestante relatou ter se separado do marido após ele ter tomado a dose de reforço da vacina contra a Covid-19. A revelação ocorreu durante entrevista à rede de televisão 1News. 

Ela participava da série de protestos iniciados nesta semana na capital do país contra a obrigatoriedade da vacinação e outras medidas sanitárias para prevenir o contágio do coronavírus, como o uso obrigatório de máscaras e passaporte da vacina para entrar em estabelecimentos.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Eu honestamente acredito que ele vai morrer", afirmou a mulher à emissora. E continuou, afirmando que estava participando dos protestos para garantir a "segurança" dos netos contra vacinação infantil: "Eu vou morrer pelos meus netos hoje". 

Adotando o nome "Comboio pela Liberdade", centenas de protestantes bloquearam ruas de Wellington e acamparam em frente ao Parlamento do país contra as medidas adotadas pelo governo da trabalhista Jacinda Ardern no combate ao coronavírus. 

Por conta da pandemia, o governo decidiu fechar a fronteira e implementar bloqueios rigorosos no país para limitar a propagação do vírus. A ação gerou resultados, e a Nova Zelândia é avaliada como um dos países no mundo que melhor lidou com a pandemia.  

Desde o início da crise sanitária, o país registrou menos de 20 mil casos de Covid-19 e teve 53 mortes pela doença. Cerca de 77% da população tomou, pelo menos, duas doses da vacina. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags