Participamos do

Colômbia denuncia apoio de organizações chilenas a manifestantes

14:29 | Jan. 13, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O governo da Colômbia denunciou nesta quinta-feira (13) o apoio de organizações chilenas a manifestantes que pretendem, segundo as autoridades, desestabilizar e provocar novamente "violência" após os protestos violentos de 2021.

"Há uma rede internacional que busca cooperar e atuar para desenvolver ações que desestabilizem, ações que gerem violência e ações que instiguem o crime e a destruição de sistemas de transporte público", declarou o ministro da Defesa, Diego Molano.

Centenas de milhares de pessoas foram para as ruas em abril de 2021 em protesto contra um aumento dos impostos promovido pelo governo que acabou sendo revogado devido à pressão popular.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os protestos duraram três meses, sem uma liderança definida. Um dos grupos de manifestantes fez parte das chamadas "linhas de frente", acusadas pelo governo de vandalismo.

O ministro afirmou que "no fim de semana foi anunciada uma convocação nas redes sociais entre uma organização chilena e organizaciones das linhas de frente" na Colômbia para protestar contra um aumento equivalente a 0,03 dólares na passagem.

Na terça-feira, encapuzados tomaram algumas estações da Transmilenio, o sistema articulado de ônibus de Bogotá, com slogans que convidavam a passar pelos controles sem pagar.

O ministério da Defesa apresentou o vídeo de uma conversa virtual de três encapuzados, um deles chileno, na qual falam sobre esta última ação.

Uma revolta social também afetou o Chile em 2019, com protestos em massa que exigiam maior igualdade e direitos sociais.

lv/vel/lda/aa

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags