PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Menino de 12 anos descobre esqueleto raro de dinossauro no Canadá

Nathan Hrushkin encontrou um fóssil de 69 milhões de anos pertencente a um hadrossauro enquanto passeava com o pai

12:46 | 16/10/2020
Nathan e Dion frequentemente fazem caminhadas na unidade de conservação de Alberta Badlands (Foto: Nature Conservancy of Canada via BBC)
Nathan e Dion frequentemente fazem caminhadas na unidade de conservação de Alberta Badlands (Foto: Nature Conservancy of Canada via BBC)

Aos 12 anos de idade, Nathan Hrushkin fez uma descoberta para poucos: encontrou um fóssil de dinossauro de 69 milhões anos enquanto passeava em um parque na província de Alberta, no Canadá.

Durante uma caminhada com o pai na unidade de conservação de Alberta Badlands, o menino viu ossos próximos a uma pedra. "Eu não cheguei nem a ficar animado, apesar de saber que eu deveria ter ficado. Fiquei em choque", descreve Nathan sobre o momento em entrevista à BBC News.

Já foram encontrados entre 30 e 50 ossos na parede de um cânion, todos pertencentes a um jovem hadrossauro, com idade estimada de três ou quatro anos.

A descoberta aconteceu ainda em julho, e nessa quinta-feira, 15, a escavação completa dos fósseis foi finalizada. O parque de Badlands abriga muitos fósseis, mas a área em que pai e filho caminhavam não era conhecida por ter tantos. Por isso, uma equipe do Museu Real Tyrrell foi enviada para explorá-la.

Descoberta

Fósseis descobertos por Nathan pertenciam a um hadrossauro
Fósseis descobertos por Nathan pertenciam a um hadrossauro (Foto: Nature Conservancy of Canada via BBC)

 

Nathan, que se interessa por dinossauros desde os seis anos de idade, diz que, quando avistou o material pela primeira vez, ficou "literalmente sem palavras".

Ele frequentemente faz caminhadas com o pai na unidade de conservação de Alberta Badlands. "Sempre fui fascinado pelo fato de que os ossos deles, semelhantes aos nossos, se tornam algo como uma rocha sólida", afirma.

Pai do menino, Dion Hrushkin relata que de fato os itens pareciam "ossos feitos de pedra". "Parecia o final de um fêmur, saindo diretamente do solo", lembra Dion.

Nathan já sabia que fósseis eram protegidos por lei, então quando ele e o pai voltaram para casa, procuraram o Museu Real Tyrrell, em Alberta, que se dedica ao estudo de itens pré-históricos. A instituição pediu que eles enviassem fotos e coordenadas de GPS do achado.

No mesmo parque onde Nathan encontrou os fósseis, foi descoberto também o dinossauro batizado de albertossauro pelo explorador canadense Joseph Tyrell, no final do século 19.

"Eu provavelmente era como a maioria das crianças, tendo o tyrannosaurus rex como tipo favorito", diz Nathan. "Mas depois da minha descoberta, prefiro definitivamente o hadrossauro."

Esqueleto de 69 milhões de anos

 

O conjunto encontrado é cientificamente significativo, diz o Museu, porque tem cerca de 69 milhões de anos — e registros desse período são raros.

O curador da paleoecologia do Museu, François Therrien, ressalta por meio de um comunicado que o achado de Nathan e Dion ajudará a preencher uma lacuna no conhecimento da evolução dos dinossauros.

"Este jovem hadrossauro é uma descoberta muito importante porque vem de um período sobre o qual sabemos muito pouco em relação aos dinossauros ou animais que viviam em Alberta", destaca.

Nathan diz que gostou de aprender mais sobre como datar ossos de dinossauros e que todo o processo foi "surreal". "Vai ser ótimo ver, depois de meses de trabalho, algo finalmente sair do chão", se empolga o menino.