PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Líbano espera ajuda do Governo Brasileiro com envio de alimentos e insumos hospitalares, diz embaixador

Conforme o diplomata libanês, Joseph Sayah, o governo brasileiro tem falado em um pacote inicial de cerca de 20 de toneladas de suprimentos

Ismia Kariny
09:39 | 06/08/2020
Explosão em Beirute, capital do Líbano, deixa dezenas de mortos e centenas de feridos nesta terça-feira, 4  (Foto: Anwar Amro/AFP)
Explosão em Beirute, capital do Líbano, deixa dezenas de mortos e centenas de feridos nesta terça-feira, 4 (Foto: Anwar Amro/AFP)

 

Joseph Sayah, embaixador do Líbano, afirmou em entrevista nesta quarta-feira, 5, que o país precisa de insumos hospitalares, alimentos e materiais de construção e conta com o auxílio do Brasil. O diplomata libanês destacou que a explosão em Beirute, na última terça-feira, 4, deixou cerca de cinco mil feridos, mais de 100 mortos, e desabrigou mais de 260 mil pessoas. As informações são do portal de notícias do G1.

Em entrevista ao G1, em Brasília, Joseph Sayah disse que conversou com o presidente Jair Bolsonaro, com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e com parlamentares. Conforme o diplomata, o governo brasileiro tem falado em um pacote inicial de cerca de 20 de toneladas de suprimentos. As partes, no entanto, ainda não entraram em detalhes específicos, destaca a reportagem.

Leia também | Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão em Beirute

"Em primeiro lugar, precisamos, mais urgentemente, suprimentos cirúrgicos, medicamentos. Temos mais de 5 mil feridos, precisamos cuidar desse número grande. E, ao mesmo tempo, vários hospitais foram danificados por causa da explosão. Precisamos de todo tipo de alimentos", disse Sayah.

O diplomata libanês comentou que a explosão não poderia ter ocorrido em momento pior. Além da pandemia que atingiu o Líbano, o país já atravessa uma crise econômica e enfrenta insatisfações populares. Agora, necessita da ajuda internacional para dar assistência às vítimas e recuperar a capital libanesa.

Leia também | Vídeo mostra antes e depois do porto de Beirute; explosão deixou mais de 100 mortos e 4 mil feridos

“Essa explosão quase destruiu uma cota de mais de três meses de suprimentos. Precisamos de ajuda alimentar rápida [...]. E precisamos de ajuda de material de construção, porque milhares de casas e apartamentos foram destruídos, paredes, portas e vidros. Temos mais de 260 mil pessoas sem abrigo”, afirmou o embaixador.

Sayah lembrou que a comunidade libanesa no Brasil é muito grande, que mais de 10 milhões de libaneses e descendentes vivem em terras brasileiras. O quantitativo é maior do que o de cerca de 7 milhões de pessoas que vivem no país do Oriente Médio. “Foi muito bom ver o carinho dos brasileiros com o Líbano”, concluiu.