PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Queda de avião no Cazaquistão deixa 12 mortos

De acordo com o ministério da Saúde, 53 pessoas estão hospitalizadas, incluindo nove crianças. Dez adultos estão em condição de "extrema gravidade"

09:08 | 27/12/2019
Acidente aconteceu nesta sexta-feira
Acidente aconteceu nesta sexta-feira (Foto: AFP)

Um avião comercial com quase 100 pessoas a bordo caiu nesta sexta-feira, 27, pouco depois de decolar na cidade de Almaty, no Cazaquistão. Uma tragédia que deixou pelo menos 12 mortos.

A aeronave, um Fokker-100 da companhia local de baixo custo Bek Air, caiu às 7h22min (22h22min de Brasília, quinta-feira), 17 minutos após a decolagem.

O voo seguia de Almaty para a capital Nursultan (antiga Astana), mais ao norte, com 98 a 100 pessoas a bordo, incluindo cinco membros da tripulação.

As autoridades chegaram a anunciar 15 mortes no acidente, mas o Comitê de Situações de Emergências revisou o balanço para 12 vítimas fatais.

De acordo com a lista divulgada pelo comitê, oito pessoas, incluindo o piloto do avião, Marat Muratbaiev, morreram no momento do desastre, duas enquanto recebiam atendimento médico no aeroporto e duas no hospital.

As vítimas fatais nasceram entre 1940 e 1986. Entre os mortos está um general do ministério do Interior, Rustem Kaidarov, de 79 anos. A agência de notícias Informburo.kz anunciou que uma de suas jornalistas, Dana Kruglova, morreu no acidente.

O governo da cidade de Almaty também confirmou o balanço revisado de 12 mortes.

De acordo com o ministério da Saúde, 53 pessoas estão hospitalizadas, incluindo nove crianças. Dez adultos estão em condição de "extrema gravidade".

Sobre o acidente

Segundo informações do aeroporto de Almaty, a aeronave "bateu na pista duas vezes antes de decolar e se inclinou para a direita no momento em que o trem de pouso era retirado".

"Começamos a perder altura e depois começamos a cambalear: a asa esquerda, depois a asa direita. O avião começou a tremer e balançar enquanto ganhava altura. Depois atingiu o chão ou um prédio", declarou à agência Ria Novosti o passageiro Aslan Nazaraliev.

A maioria das pessoas mortas estava na frente da aeronave.

O ministério do Interior abriu uma investigação por "infração das regras de segurança e de exploração de um meio de transporte aéreo".

Imagens publicadas pelas autoridades mostram o avião dividido em dois pedaços, com a parte da frente em uma casa de dois andares parcialmente destruída. As autoridades não registraram vítimas em terra.

Centenas de socorristas, apoiados por caminhões de bombeiros e ambulâncias, além da polícia, chegaram em pouco tempo ao local, onde havia muita neve.

Em uma mensagem de condolências publicada no Twitter, o presidente Kassym-Jomart Tokayev declarou que "os responsáveis serão castigados severamente, de acordo com a lei".

De acordo com o canal estatal Khabar 24, a casa atingida pelo avião estava vazia.

A empresa

A Bek Air se descreve em seu site como a primeira companhia aérea de baixo custo do Cazaquistão. O ministério da Indústria indica que a empresa tem uma frota de sete Fokker-10, um avião de médio alcance de fabricação holandesa.

O governo cazaque determinou que as aeronaves da companhia permaneçam em terra durante a investigação do acidente.

Em março de 2016, um Fokker-100 da Bek Air com 116 pessoas a bordo fez um pouso de emergência no aeroporto de Nursultan por um problema técnico. Nenhuma pessoa ficou ferida.