PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Homem é preso após mandar 10 mil mensagens para mulher em 12 dias: "Você e eu vamos morrer juntos"

Ao todo, é como se tivesse enviado 833 mensagens por dias, 34 por hora, uma a cada dois minutos

17:43 | 14/08/2019
Em audiência na Corte de Broward, Nicholas afirmou que ele e a vítima tinham uma conexão
Em audiência na Corte de Broward, Nicholas afirmou que ele e a vítima tinham uma conexão "muito forte". (Foto: Reprodução/Corte do Condado de Broward)

O estadunidense Nicholas C. Nelson, 48 anos, foi preso após enviar mais de 10 mil mensagens de texto entre 5 e 17 de abril para uma mulher que conhecia por um amigo em comum. O homem foi preso no dia 18 do mesmo mês e continua detido após decisão judicial na última segunda-feira, 12, quando foi negada fiança a ele por já ter se envolvido em caso semelhante de perseguição.

“Você e eu vamos morrer juntos”, escreveu Nicholas em uma das mensagens enviadas à vítima. Em outra missiva, disparou: “O único homem com quem você vai estar sou eu”. Ao todo, é como se tivesse enviado 833 mensagens por dias, 34 por hora, uma a cada dois minutos. De acordo com a investigação, o volume de mensagens aumentou após a mulher contar ao amigo em comum que Nicholas a estava incomodando, na esperança de que o conhecido pudesse conversar com o perseguidor.

A situação é chamada de stalking - prática de perseguição e invasão de privacidade, intensificada com as ferramentas online - e, em geral, se desdobra entre pessoas que têm pouco ou nenhum contato, como é o caso de Nicholas e a mulher em questão. Segundo a vítima, eles raramente trocaram palavras e só se viram poucas vezes na companhia do conhecido comum.

Ainda assim, as mensagens do assediador passaram a ter um teor sexual. Em outra ocasião, ele enviou foto de bilhete de estacionamento de um aeroporto, afirmando que estava pronto para explodir aviões caso ela não o respondesse. Posteriormente, deixou roupas suas na frente da casa da vítima e de seus parentes.

Em audiência na Corte de Broward, Nicholas afirmou que ele e a vítima tinham uma conexão “muito forte”. Não é a primeira vez que o homem se envolve em um caso do gênero. Em 2011, no Condado de Palm Beach, o norte-americano também respondeu judicialmente por perseguir uma mulher. Por conta da ocorrência anterior, Nicholas não teve direito à fiança, estipulada em US$ 500.000.