PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Quanto custa o aluguel em metrópoles europeias?

10:47 | 09/08/2019
Capitais europeias como Berlim, Lisboa e Madri vêm sofrendo com o aumento significativo do valor dos aluguéis nos últimos anos. Paris tem metro quadrado mais caro do continente.Com a globalização, grandes cidades europeias não somente foram impulsionadas como centros de negócios, mas também de atração populacional e cultural. Além disso, a compra de extensas áreas residenciais por empresas de capital aberto fizeram das grandes cidades um espaço de especulação. Tudo isso culminou no aumento vertiginoso dos aluguéis de moradias na última década. Reagindo aos protestos nas ruas, as administrações de algumas metrópoles, como Berlim, já anunciaram medidas para conter a alta desenfreada dos aluguéis. Confira a situação em algumas das principais metrópoles europeias: Paris Diversas pesquisas mostram o preço dos aluguéis na capital francesa como o mais alto da Europa. Um recente estudo da consultoria Deloitte apontou, por exemplo, um preço médio de 27,80 euros para o metro quadrado alugado na Cidade Luz. Em segundo lugar no ranking está Oslo, com um preço mensal de 25,30 euros por metro quadrado. De acordo com o jornal francês Le Figaro, em março de 2018, o preço médio do aluguel de um apartamento em Paris era de 1.054 euros. É preciso considerar, no entanto, que há fortes variações entre os bairros parisienses. Com esse dinheiro, podia-se alugar no 6° arrondissement, o bairro mais caro, um apartamento de 26 m2. Já no 20° arrondissement, o bairro mais barato, com essa quantia o inquilino podia obter um apartamento de 34 m2. Segundo o Observatório dos Aluguéis da Região Parisiense (Olap), o aumento médio dos aluguéis no ano de 2018 na capital francesa girou em torno de 1,7%. Para os apartamentos de alto nível, espera-se uma elevação de até 6% no preço das locações em 2019, escreveu o jornal Le Figaro, citando dados da empresa de consultoria imobiliária britânica Knight Frank. Londres Londres disputa com Paris e Oslo o título de aluguel mais caro da Europa. De acordo com o estudo da Deloitte, o preço médio de aluguel do metro quadrado na capital britânica é, atualmente, de 20,10 euros. Com base em dados de junho de 2019, o London Rents Map (Mapa de Aluguéis de Londres), da prefeitura da capital britânica, apontou que um quarto nos bairros centrais da cidade pode ser alugado, em média, por 650 libras (703 euros); um studio, por 950 libras (1.028 euros); e um apartamento de um quarto, por 1.300 libras (1.407 euros). Já o aluguel de um apartamento de dois quartos custa a partir de 1.600 libras (1.742 euros); um de três quartos, a partir de 2.150 libras (2.340 euros); e um de quatro quartos ou mais, a partir de 2.800 libras (3.050 euros). Ainda segundo a prefeitura, um aluguel em Londres custa, assim, uma média de 1.611 libras (1.731 euros) – ou seja, mais que o dobro da média de todo o Reino Unido, que é de 781 libras (845 euros). De acordo com o think tank britânico Centre For London, um londrino gasta em média 31,5% do seu salário para pagar o aluguel. Segundo a prefeitura de Londres, os aluguéis na capital britânica subiram apenas 0,9% entre junho de 2018 e junho de 2019. Berlim Quase metade dos alemães (48,3%) vive de aluguel. Não é à toa que o tema é tão importante no país. De acordo com o jornal de economia Handelsblatt, nas grandes cidades essa proporção é bem maior: em Berlim, 85% dos moradores são inquilinos. E atualmente um berlinense dedica, em média, 35% do seu salário para pagar o aluguel. De acordo com o portal imobiliário Immoscout, há dez anos os berlinenses pagavam em média 5,20 euros pelo metro quadrado de um novo aluguel – hoje esse valor é quase o dobro: 9,50 euros. Em bairros descolados, como Neukölln, o preço subiu 143%, chegando a uma média mensal de mais de 12,60 euros pelo metro quadrado, diz o portal. O site imobiliário Immowelt aponta um preço médio mensal de 14,20 euros por metro quadrado para o aluguel de um apartamento de até 40 m² em Berlim; de 11 euros por metro quadrado para um apartamento de até 80 m²; e de 12 euros por metro quadrado para apartamentos de até 120 m². Diante do aumento vertiginoso nos preços, fruto de uma maior procura e venda de imóveis para empresas de capital aberto, o governo de Berlim aprovou em junho último uma proposta para congelar os aluguéis na cidade por cinco anos. O projeto deve ser votado em outubro pela Assembleia Legislativa e vai atingir 1,5 milhão de apartamentos. De acordo com recente pesquisa da consultoria Deloitte, os aluguéis em grandes cidades alemãs são relativamente baixos na comparação com outras metrópoles europeias. Entre 44 cidades pesquisadas, Berlim ocupa a 40ª posição. Apesar de ter aluguéis mais baratos do que em Londres ou Paris, Berlim tem taxas de desemprego e pobreza relativamente altas, além de uma média salarial baixa, o que dificulta para muitos encontrar uma moradia a um preço acessível. Segundo o jornal Handelsblatt, a capital alemã é responsável por somente 4% do Produto Interno Bruto (PIB) alemão. Em comparação, Londres responde por quase 25% do PIB do Reino Unido, e a região de Paris, por mais de 30% do PIB francês. Quanto maior a contribuição para o PIB, maior o número de pessoas que trabalham na cidade e a demanda por moradias. Lisboa e Porto Nos últimos anos, Portugal se tornou um dos destinos mais procurados da Europa. Isso se nota também nos aluguéis, principalmente na capital, onde o preço médio do metro quadrado é de 11,16 euros, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Em comparação, no Porto, esse valor é de 7,85 euros. Segundo dados de março de 2019 do INE, em bairros lisboetas mais nobres, como Santo Antônio, o preço médio do metro quadrado alugado chega a 14,10 euros. No bairro mais caro do Porto, esse valor é de 8,86 euros. De 2017 a 2018, os preços dos aluguéis em Lisboa subiram 17%, de acordo com o portal imobiliário Idealista. O portal indicou, no entanto, que essa valorização desacelerou neste ano. De acordo com o site Nacionalidade Portuguesa, em Lisboa o preço do aluguel de um apartamento com um quarto varia de 650 a 1.000 euros entre os bairros mais afastados e freguesias nobres. Já o aluguel de um apartamento de dois quartos vai de 850 euros a 1.200 euros nos mesmos bairros. No Porto, informa o Nacionalidade Portuguesa, o preço do aluguel de um apartamento com um quarto sai em média 600 euros mensais. Já com dois quartos fica em média 750 euros por mês, segundo o site. Em 2018, segundo o Idealista, o preço médio do aluguel em todo o país foi de 4,80 euros por metro quadrado, o que corresponde a um aumento de 9,3% em relação a 2016. O mesmo período, no entanto, registrou um decréscimo do número de novos contratos de aluguéis de 7,9%. O portal Economia Online informa que o salário médio mensal em Portugal é de 1.133 euros. Em Lisboa, esse valor sobe para 1.416 euros. Madri e Barcelona Após a crise imobiliária que abalou a Espanha a partir de 2008, cada vez mais espanhóis passaram a viver de aluguel, mas em muitos bairros de Madri e Barcelona os inquilinos estão tendo mais e mais dificuldades para cumprir suas obrigações. Uma pesquisa do banco UBS constatou que o aluguel médio madrilenho ocupa o 13° lugar entre os das capitais europeias. De acordo com o portal imobiliário Idealista, no bairro mais barato de Madri paga-se em média 9,71 euros por metro quadrado alugado; no mais caro, 15,77 euros. Segundo o mesmo portal, em Barcelona o preço médio do metro quadrado alugado vai de 11,65 a 16,99 euros. De acordo com a emissora alemã Deutschlandfunk, de 2012 a 2017 os aluguéis em Barcelona subiram em média 55%, e em Madri, 23%. Nos centros das grandes cidades, as famílias chegam a gastar 70% de sua renda para pagar o aluguel. Segundo o índice HousingAnywhere International, o aluguel de um apartamento pequeno em Barcelona subiu, no segundo trimestre de 2019, mais de 10% em relação ao mesmo período no ano passado. Na capital espanhola, essa variação foi de quase 4%. Assim, a Espanha é um dos países da União Europeia com maior elevação dos aluguéis, apontou um estudo da Anistia Internacional citado pela emissora alemã. Outro problema é que no país faltam instrumentos de regulação de preços, criticou a Deutschlandfunk. ______________ A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter Autor: Carlos Albuquerque
TAGS