Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Parque Ecológico do Passaré é reaberto ao público após quase dois anos em reforma

A revitalização durou o dobro do tempo inicialmente estimado pela Prefeitura. No total, as obras receberam investimento de R$ 9,1 milhões

Após quase dois anos em reforma, o Parque Ecológico do Passaré, em Fortaleza, foi reinaugurado e reaberto ao público nesta quinta-feira, 14. Com investimento de R$ 9,1 milhões, o equipamento recebeu obras de mobilidade e urbanização. A revitalização começou em agosto de 2020 e durou o dobro do tempo estimado, que inicialmente era de 10 meses.

A nova estrutura do Parque conta com uma ampla área de lazer, que inclui pista de caminhada de aproximadamente 12 mil metros, academias ao ar livre, espaços de convivência e passeios internos. O espaço também recebeu a construção de uma areninha e ganhou um estacionamento com cerca de 200 vagas para carros, motos e motocicletas.

Com intervenções paisagísticas, o Parque passou a contar com áreas verdes para contemplação do público em toda a sua extensão. Novos jardins foram criados em pontos estratégicos, junto com a instalação de mobiliários urbanos, para aproximar os visitantes do meio ambiente. Uma das novidades é um píer com guarda-corpo que foi construído sobre a Lagoa do Passaré, que servirá como um atrativo a mais para os frequentadores desfrutarem da paisagem natural.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Presente na solenidade de inauguração do Parque, o prefeito José Sarto destacou que a riqueza paisagística do local pode ser usada de forma pedagógica para conscientizar os visitantes sobre a necessidade de cuidar do meio ambiente. “É mais um espaço para que o fortalezense possa trazer sua família. Temos uma estrutura fantástica e com o diferencial de que tudo isso pode ser utilizado até pedagogicamente para estimular a preservação da natureza”, diz Sarto.

Além da área de lazer, o Parque do Passaré ainda abrange o Zoológico Municipal Sargento Prata, com mais de 150 animais, de 40 espécies diferentes, e o maior viveiro de mudas do Ceará. Os locais estarão disponíveis para visitação das 9 às 16 horas, de segunda a sábado.

Visitantes aprovam nova estrutura

Para a líder comunitária Rebeca da Silva, 31, moradora do Riacho Doce, comunidade localizada no entorno do parque, mais do que comemorar a revitalização, os frequentadores devem se mobilizar para manter o espaço preservado e limpo. “Eu nasci e me criei aqui nesse trecho, sei bem como aqui antes a estrutura era precária e nada convidativa. O que temos que fazer agora é cuidar dele [do parque] com todo o carinho do mundo como se fosse um filho nosso, porque, inclusive, é um espaço para onde iremos trazer nossos filhos”, ressaltou.

O servidor público Francisco Ferreira, 44, que mora a poucos metros do Parque, fez questão de levar sua família para o local no primeiro dia de reabertura. Segundo ele, a novidade agradou principalmente a sua filha, de cinco anos.

“A gente passou esses dois anos de pandemia com tudo muito difícil, principalmente quem tem criança, como eu, que não podia sair de casa, sem ter onde gastar a energia, agora temos um espaço apropriado para isso. Ela [minha filha] até ficou emocionada [com o parque reaberto] porque disse que agora vai ter um lugar para brincar”, contou.

Para o vendedor ambulante Jackson Jairo Feitosa, 48, a reabertura do espaço também representa a oportunidade de ganhar uma renda extra. Ele afirma que pretende ir ao local todas as noites para vender salgados e sucos, mas observa que o horário pode não ser atrativo para os visitantes devido a problemas na iluminação do entorno do Parque.

De acordo com o vendedor, a situação ocorre principalmente na Avenida da Saudade, onde há um portão de acesso para o espaço. “Aqui depois de 18 horas fica um trecho grande escuro ou com iluminação ruim. Acho que precisa ser melhorada essa questão porque fica mesmo em uma das entradas, e se logo na entrada tem isso, as pessoas não vão se sentir seguras para visitar o parque”, enfatizou.

O POVO questionou a Secretaria Municipal da Gestão Regional (Seger) sobre os problemas de iluminação apontados pelo comerciante. A pasta afirmou que não possui responsabilidade sobre a área externa ao Parque, mas que iria encaminhar a demanda para a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP).  

Em nota, a SCPS disse que já há um projeto em análise para a melhoria da iluminação no trecho entre a Avenida Juscelino Kubitschek e Avenida dos Paroaras, que inclui a Avenida da Saudade, no bairro Passaré. A pasta ainda afirma que, para realizar as intervenções, será necessário antes fazer a poda de árvores no entorno, atribuição da Autarquia de Paisagismo e Urbanismo de Fortaleza (URBFor), ligada à Secretaria Municipal de Gestão Regional (Seger). "A SCSP solicitará o serviço para que, tão logo o projeto seja aprovado, as melhorias possam ser realizadas", diz o a nota.

Expansão das áreas de lazer na Capital

O titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), Samuel Dias, considera que as melhorias implementadas na estrutura do Parque do Passaré devem transformar o espaço numa das áreas de lazer mais visitadas da Capital cearense. “Toda essa revitalização serviu para descortinar uma das áreas mais belas de Fortaleza, que agora vai se tornar ponto de encontro de muitas pessoas diariamente'', afirmou.

Para Dias, a reestruturação do espaço contribui para a descentralização das áreas de lazer na cidade. Na esteira desse processo, o secretário destaca que há outros projetos com o mesmo objetivo já finalizados ou ainda em andamento.

“Não é só Parque do Cocó e Beira-Mar, a gente tem também a Lagoa da Viúva, no Siqueira, que muito em breve será entregue, o Parque Rachel de Queiroz, que virou um ponto extremamente ocupado, a Lagoa da Maraponga, que também está perto de ser finalizada, e muitos outros espaços que ainda serão revitalizados nos próximos meses”, detalhou.

Nos próximos meses, adianta Dias, a Prefeitura iniciará revitalizações na Lagoa do Mondubim, Lagoa da Messejana, Lagoa do Opaia e na Lagoa do São Gerardo. “Já há projetos e recursos garantidos”, garante.

O Secretário ainda ressaltou que há estudos em andamento para planejar a reestruturação do Parque Rio Branco, no Bairro de Fátima, alvo de frequentes reclamações dos frequentadores por conta de danos visíveis na estrutura do espaço.

“Ele [o Parque Rio Branco] é muito demandado, está localizado no coração da cidade, e tem problemas estruturais que precisam ser tratados de forma urgente, por isso estamos dando prioridade na elaboração do projeto, junto com a Seuma [Secretaria Municipal de Meio Ambiente e urbanismo]”, afirmou Dias.

Em Fortaleza, há 25 parques urbanos, dos quais 23 estão sob a gestão da Prefeitura. Segundo a gestão municipal, dez deles já foram revitalizados. Confira quais:

Parque Urbano Lagoa do São Gerardo

Parque Urbano Lagoa da Parangaba

Parque Urbano Lago Jacarey

Parque Linear do Parreão

Parque da Longevidade (Sítio Tunga)

Parque Urbano Otacílio Teixeira Neto (Bisão)

Parque Urbano Cidade da Criança

Parque Urbano Lagoa da Zeza

Parque Urbano Rachel de Queiroz

Parque Ecológico do Passaré

Atualizada em 18/04/2022 às 22h26min

OUÇA O PODCAST VOO 168 BASTIDORES

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar