Participamos do

Dono do portal Pirambu News é morto a tiros em Fortaleza

A vítima foi atingida com tiros na cabeça e morreu
10:26 | Fev. 08, 2022
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Givanildo Oliveira, conhecido como Gigi, dono do portal de notícias Pirambu News, e foi morto nessa segunda-feira, 7, na avenida Doutor Theberge, em Fortaleza. A vítima foi atingida com tiros na cabeça e morreu no local. A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência.

 

Crime acontecer na avenida Doutor Theberge, em Fortaleza
Crime acontecer na avenida Doutor Theberge, em Fortaleza (Foto: Reprodução Whats App)

De acordo com o perfil do Pirambu News, a página é voltada para estudantes de jornalismo e jornalistas formados nas periferias. Um trabalho de jornalismo independente. No Instagram, a página acumulava mais de 67 mil seguidores. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Nas postagens, ele divulgava matérias de cotidiano, violência, denúncias e casos que ocorriam principalmente no bairro Pirambu. A última postagem feita pelo página Pirambu News foi a respeito de um suspeito de matar duas pessoas no bairro, no domingo, 6.

Pelas redes sociais, o governador Camilo Santana (PT) afirmou que o caso é inaceitável e que "é preciso imediata identificação e prisão de todos os envolvidos". Ele afirma que conversou com o secretário de Segurança do Ceará, Sandro Caron, sobre os episódios de violência das últimas horas, que inclui uma chacina em Juazeiro do Norte, quando sete homens encapuzados invadiram uma casa e mataram quatro pessoas.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) também lamentou o assassinato de Givanildo Oliveira através de nota. “Ao mesmo tempo em que se solidariza com a família da vítima, a diretoria da entidade sindical cobra a apuração do crime, para saber se está relacionado à atuação do comunicador popular”, comunica o Sindicato.

“Entre os anos de 1995 e 2021, ao menos 70 jornalistas e comunicadores foram executados por conta do exercício da profissão no Brasil. A crescente violência contra os profissionais da mídia preocupa o Sindjorce e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), que têm defendido a federalização das investigações dos crimes contra a categoria”, conclui o Sindjorce.

O POVO solicitou informações sobre o caso à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e aguarda respostas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags