Participamos do

AMC tem novo equipamento que identifica consumo de álcool em motoristas sem contato direto com a boca

Equipamento identifica consumo de álcool apenas com o sopro do condutor numa haste de metal. O aparelho também permite ampliar o número de testes
10:43 | Nov. 12, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) começaram a atuar na capital cearense com um novo equipamento para detectar a ingestão de bebidas alcoólicas por parte dos condutores de veículos. O novo aparelho é adaptado para o momento de pandemia e passou a ser utilizado na Operação Lei Seca e nas fiscalizações de rotina neste mês de novembro. A diferença do novo modelo de etilômetro é que agora o motorista não precisa estabelecer o contato da boca com o aparelho. O novo equipamento contém uma haste de metal que permite detectar a ingestão de bebidas alcoólicas por parte do condutor apenas a partir do sopro.

O antigo aparelho usado, também chamado de etilômetro, era mais conhecido como bafômetro. Com ele, o motorista também era analisado ao exalar o ar expirado pela boca, soprando diretamente no equipamento. A expectativa é que a nova tecnologia possa otimizar o número de testes de alcoolemia, que seria a concentração passageira de álcool no sangue, resultante da ingestão de bebidas alcoólicas.

Agente de fiscalização segurando o bafômetro, para medir possível consumo de álcool de condutores de veículos.
Agente de fiscalização segurando o bafômetro, para medir possível consumo de álcool de condutores de veículos. (Foto: Mariana Parente)

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Conforme o levantamento feito pela Autarquia, 9.906 condutores se submeteram aos testes de alcoolemia até o mês de outubro, em 2021. Desse valor, 68 condutores testaram positivos e 559 recusaram realizar o exame. A recusa é compreendida pela AMC como um indicativo de ingestão de álcool.

A AMC considera a condução de veículos após a ingestão de bebidas alcoólicas um dos principais fatores de risco no trânsito. A operação Lei Seca e as fiscalizações de rotina surgem como medidas adotadas para diminuir os riscos de acidentes no trânsito, provocados por condutores que insistem em combinar álcool e direção.

LEIA MAIS | Feriado nacional: veja o que abre e o que não abre nesta segunda, 15

Auxílio Brasil mantém condicionalidades; mudança causa incertezas

"O álcool prejudica o equilíbrio, a coordenação motora e os reflexos, podendo deixar o condutor apático e lento. Em uma situação de perigo, o condutor não terá condições de agir para evitar um acidente", destaca Juliana Coelho, superintendente da AMC.

O novo equipamento reforça a fiscalização preventiva da AMC, já que contribui para o cidadão criar o hábito de cumprir as normas de circulação viária. O álcool é um dos principais fatores de risco para a ocorrência de acidentes de trânsito. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o condutor que desrespeitar a lei, com pelo menos um copo de cerveja, tem três vezes mais chances de morrer em decorrência de um acidente do que um motorista sóbrio.

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags