Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

1.626 ipês-amarelos foram plantados em Fortaleza, em 2021

"Ele é ótimo para a arborização urbana por causa das raízes que são bem profundas e não causam problemas para as calçadas e demais construções", explica a coordenadora de Políticas Ambientais da Seuma, Viviane Damasceno
19:31 | Set. 13, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Com a coloração viva e intensa nos meses de setembro e outubro, os ipês-amarelos já estão florindo pela Capital cearense. Devido ao grande potencial paisagista e da floração que chama a atenção, o ipê-amarelo adquiriu ainda mais importância para nossa cidade, a espécie foi eleita árvore-símbolo de Fortaleza, em março deste ano. Seguindo o plano de arborização de Fortaleza, em 2021, considerando os meses de maio até setembro, houve o plantio de 1.626 ipês-amarelos pela Cidade, em locais como Marco Zero de Fortaleza, Parque do Bisão, Parque Estadual do Rio Cocó e Parque Rachel de Queiroz.

A Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) é responsável pelo programa de arborização na Capital cearense. Conforme a coordenadora de Políticas Ambientais da Seuma, Viviane Damasceno, o ipê-amarelo tem uma especificidade importante para se adaptar a centros urbanos. "Ele é ótimo para a arborização urbana por causa das raízes que são bem profundas e não causam problemas para as calçadas e demais construções”, explica.

LEIA MAIS | Google muda definição de síndrome de Down após mobilização de influencer do DF

Unindo moda e sustentabilidade, Susclo repensa consumo de roupas usadas

Viviane relata que para a realização dos projetos de arborização é preciso verificar a compatibilidade do porte, tronco e a copa da árvore. “Para a arborização urbana, o ipê é maravilhoso, por causa das suas raízes profundas. Quanto mais profundas as raízes, melhor para a urbanização, porque isso evita que a árvore prejudique as calçadas, fundações de prédios e muros.”

Símbolo

O ipê-amarelo, nativo da região, é conhecido como Caraúba. A árvore é de médio a grande porte e pode alcançar de cinco a 20 metros. Para oficializar essa relação entre Fortaleza e a árvore, a Prefeitura de Fortaleza, no dia 17 de março deste ano, divulgou a escolha do ipê-amarelo como Árvore Símbolo da Capital cearense. A escolha ocorreu após consulta pública realizada pela Seuma, entre os dias 5 e 25 de junho de 2020.

A iniciativa foi feita em comemoração ao Dia Internacional das Florestas e da Árvore, celebrado em março, 21. Naquele momento, a titular da Seuma, Luciana Lobo, disse que a ação tinha o intuito de estimular o sentimento de pertencimento do cidadão com a flora e incentivar o plantio deste ipê regional, que tanto embeleza a nossa cidade.

Arborização de Fortaleza

Por meio do Plano de Arborização, a Prefeitura de Fortaleza afirma realizar o plantio de ipês, continuamente, em vias, imóveis e obras públicas, assim como de outras espécies de plantas. Além disso, o Programa Árvore na Minha Calçada realiza a doação da muda e o plantio, que também pode ser feito pelo cidadão ao receber as orientações sobre todos os cuidados técnicos necessários.

Conforme os dados disponibilizados pela Seuma, houve 17.253 plantios e doações de mudas gerais, além de 371 plantios através do Programa Árvore na Minha Calçada, em que a Seuma realiza visitação e avaliação do território para o plantio de árvores.

O principal benefício da arborização urbana é a melhora da qualidade de vida das pessoas. A coordenadora de Políticas Ambientais diz que o saldo do programa de arborização está relacionado ao benefícios para a umidade e a melhora da qualidade do ar, além do conforto térmico. "Quanto mais árvores e sombras, mais fresca e amena pode ser a sensação térmica."

Essas ações fazem parte do planejamento urbano de Fortaleza. "Com o crescimento populacional, o planejamento urbano se torna essencial. Esse planejamento tem como foco a melhora no convívio em sociedade, o que inclui o meio ambiente". 

Por fim, Viviane conta que é importante realizar o plantio das espécies nativas, porque elas já fazem parte do nosso ecossistema. "Quando a gente planta um indivíduo exótico, essa espécie pode trazer diversos malefícios para o ecossistema e servir como veneno para alguns animais", conclui.

Os interessados em adotar uma árvore, que pode ser ipê ou de outra espécie, devem enviar e-mail para [email protected] ou entrar em contato por meio do Whatsapp (85) 98814.3849. A Seuma está realizando o cadastro das solicitações.  

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Projeto convida crianças para idealização de micro parques em Fortaleza

programação infantil
17:53 | Ago. 25, 2021
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Ações lúdicas com crianças de comunidades dos bairros Paupina e Vila Velha começaram a ser realizadas na tarde desta quarta, 25. O projeto da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria do Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), com a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova) visa incentivar o público infantil a se expressar, por meio de desenhos, pinturas, colagens, cartazes e artes em geral, sobre os micro parques que serão construídos no entorno de suas casas. Iniciativa também ocorrerá nesta quinta-feira, 25, das 15 às 17 horas.

Na tarde desta quarta, 25, a programação infantil foi no micro parque da Paupina, localizado na Tv. Maria de Lourdes G Lima, 60, São Bento. Amanhã, será no micro parque da Vila Velha, na rua Maria Zenóbia Carneiro, 299.

Para que o convite fosse feito às crianças das comunidades, houve um chamamento de casa em casa para engajar o público beneficiado. A ação ganhou forma após a coordenação do projeto ter visitado lideranças locais e tomado conhecimento sobre as necessidades e as expectativas da população com relação aos parques.

Segundo a titular da Seuma, Luciana Lobo,  o projeto devolve à população um espaço que pertence a ela e que, muitas vezes, tinha virado ponto de lixo ou até de violência. Para ela, "todo mundo se sente, de fato, dono daquele local, zelando por ele em todas as etapas do projeto”.

Micro parques

Com o intuito de aproveitar espaços degradados e realizar uma integração com o ambiente natural, o projeto dos micro parques almeja personalizar cada iniciativa de acordo com a demanda da comunidade do entorno. O planejamento para os equipamentos é que eles se localizem próximos a escolas, postos de saúde ou outros equipamentos públicos já utilizados pela população. "O projeto dos microparques precisa do envolvimento direto da população, pois são propostas personalizadas para cada espaço. Claro, seguindo alguns preceitos urbanísticos, mas buscando oferecer no novo espaço o que tem relação com a identidade daquela comunidade específica", explicou Camila Girão, coordenadora de desenvolvimento urbano da Seuma.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags