Participamos do

UFC reabrirá restaurante e suspenderá comida em quentinhas após caramujo em prato

Restaurante Universitário volta a funcionar hoje, exclusivamente para residentes
09:43 | Ago. 25, 2021
Autor Leonardo Maia
Foto do autor
Leonardo Maia Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Restaurante Universitário (RU) da Universidade Federal do Ceará (UFC) voltará a funcionar para servir refeições para os residentes da instituição. A operação funcionará nos campi Benfica e Pici, em Fortaleza, e encerra a modalidade de entrega de quentinhas para os estudantes moradores. Neste momento, a reabertura será apenas para os residentes.

O retorno ocorre nesta quarta-feira, 25, com três refeições diárias. A decisão foi tomada após reportagem com denúncias de estudantes sobre a baixa qualidade da comida, incluindo caso em que um caramujo foi encontrado em uma das refeições concedidas.

O restaurante estava sem atividades presenciais desde março de 2020, em função da pandemia de Covid-19.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

As refeições ocorrerão nos seguintes horários:

Café: 6h30min às 8 horas
Almoço: 11h30min às 12h30min
Jantar: 17h30min às 18h30min

Horários das rotas de ônibus foram ajustados para transportar os estudantes. Deverá haver veúculo de 15 em 15 minutos:

6h15min, 6h40min, 7 horas, 7h15min, 7h30min, 7h45min e 8 horas.
Última saída do RU será às 8h10min.

11h15min, 11h30min, 12 horas, 1h15min
Última saída do RU às 12h45min

17h15min, 17h30min, 17h45min, 18 horas, 18h15min, 18h30min
Última saída do RU será às 19 horas, para esperar os funcionários que fecham o refeitório

Em nota, a UFC, por meio da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), informou que, ao receber denúncias de alguns estudantes, tomou providências para ampliar o controle da qualidade da comida. Uma das medidas foi a criação de um grupo nas redes sociais com os alunos diretores das residências, além de um representante da Divisão de Gestão de Moradia da Prae (Digem) e a equipe de nutrição da pró-reitoria. O objetivo foi criar canal para que os relatos fossem registrados.

Acerca do caso específico do caramujo, a instituição informou que a coordenação do Restaurante Universitário abriu processo de análise de possível sanção de advertência à empresa fornecedora pelo ocorrido. Anteriormente, a UFC já havia informado um contato realizado com a terceirizada, que afirmou que começaria processo de investigação do ocorrido durante a produção. A empresa defendeu ainda que os lotes do feijão tipo carioca, alimento onde o molusco foi encontrado, foram substituídos.

A reportagem teve acesso a documentos do processo, que mostram que a empresa já foi notificada por advertência na última sexta-feira, 20, e tem prazo de cinco dias úteis após o recebimento para apresentar defesa. Para embasar a decisão, a UFC usou um dos itens do edital de licitação do serviço, que obriga a empresa a manter o fornecimento de refeições obedecendo o disposto na Resolução n° 216 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A medida trata do controle sanitário na área de alimentos, visando a proteção da saúde da população.

O POVO tenta localizar a empresa terceirizada, mas não obteve sucesso até a publicação da matéria.

Restaurante Universitário funcionará durante 1 hora no almoço e no jantar

Na volta do atendimento presencial, a UFC informa que serão cumpridas as recomendações sanitárias determinadas em decreto, como distanciamento social, controle de entrada, uso de máscara e álcool em gel.

Estudante ouvido pela reportagem considera que o retorno é uma esperança para que a comida melhore. Porém ele e outros estudantes ficaram insatisfeitos com o que consideram pouco tempo para refeições, sobretudo no caso do Pici, onde as aulas por vezes vão até meio-dia e é necessário pegar os ônibus.

Eles informam que foram avisados da mudança na segunda-feira, 23.

Leia a íntegra da nota divulgada pela UFC em resposta às denúncias da reportagem

Em atenção à matéria do jornal O Povo do último dia 17 de agosto, intitulada “Estudante encontra caramujo em refeição concedida pela UFC”, a Universidade Federal do Ceará vem
esclarecer os seguintes pontos e anunciar que:

• Será suspensa a modalidade de entrega de quentinhas para alunos moradores das residências universitárias, dando-se início à reabertura gradual do Restaurante Universitário, cujas atividades presenciais foram interrompidas em março de 2020, em decorrência da pandemia. Neste momento, os refeitórios do RU nos campi do Pici e Benfica serão reabertos exclusivamente para a oferta de refeições aos estudantes residentes. A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) da UFC informa que a reabertura parcial obedecerá às recomendações sanitárias, como distanciamento social, controle de entrada, uso de máscara e álcool em gel.

• A reportagem do O Povo veiculada no dia 17 menciona denúncias de fornecimento de alimentos supostamente apodrecidos pela empresa terceirizada contratada para garantir alimentação de qualidade aos alunos residentes durante a pandemia. A PRAE esclarece que, após ter recebido queixas de alguns estudantes residentes sobre a qualidade dos alimentos, tomou providências para ampliar o controle de qualidade. Em 3 de novembro de 2020, criou um grupo de Whatsapp com os alunos diretores das residências universitárias, um representante da Divisão de Gestão de Moradia da PRAE (DIGEM) e a equipe de nutrição da pró-reitoria. O objetivo foi estabelecer um canal em que todos os relatos pudessem ser registrados. Em paralelo, passou a realizar, a partir de 18 de fevereiro de 2021, a análise sensorial das preparações encaminhadas diariamente aos residentes, por meio da qual nutricionistas da PRAE avaliam os aspectos de sabor, odor, aparência e consistência das preparações. Cabe salientar que a entrega das refeições é supervisionada, ainda, por um funcionário do Restaurante Universitário, responsável por também registrar as eventuais ocorrências. A PRAE ressalta que a avaliação sensorial tem verificado bons resultados: as refeições fornecidas têm apresentado aspectos satisfatórios dos critérios analisados, apresentando-se saborosas, com odor agradável e característico, salvo raras exceções, como ausência de sal ou algum outro tempero, mas sem nenhum comprometimento da segurança sanitária. Além do acompanhamento da prestação do serviço, a equipe de nutrição está atenta às preferências alimentares dos estudantes. Recentemente, em 21 de julho, foi realizado levantamento no qual os alunos tiveram a oportunidade de escolher pratos para compor o cardápio oferecido.

• A matéria do O Povo veicula, ainda, o relato anônimo de um estudante que, após ter se sentido mal, procurado o pronto-socorro e sido diagnosticado com anemia, não teria recebido apoio da Universidade ou resposta a um e-mail enviado à Instituição. Sobre isso, a PRAE esclarece que o aluno recebeu resposta e foi atendido. No dia 20 de julho, ele foi atendido pela equipe de nutricionistas da pró-reitoria, em uma reunião remota via Google Meet, na qual apresentou uma pesquisa de satisfação que havia realizado com os colegas residentes. A equipe pontuou os aspectos abordados na pesquisa e procedeu aos encaminhamentos necessários, dentre os quais estão a decisão de realizar a análise sensorial das refeições em uma amostra aleatória e a criação de um questionário de satisfação elaborado pela equipe de nutrição, que foi disponibilizado no dia seguinte à reunião. Além disso, a equipe de nutricionistas se prontificou a analisar a possibilidade de alteração dos horários de entrega das quentinhas nos setores envolvidos. Entretanto, os estudantes não apresentaram uma sugestão de novos horários, conforme havia sido acordado na reunião supracitada. Por fim, a equipe da PRAE solicitou os dados da pesquisa de satisfação realizada pelo referido estudante, a fim de fazer uma análise minuciosa de todos os aspectos. Porém, até o presente momento, o resultado dessa pesquisa não foi encaminhado. Desse modo, não procede a informação de que a UFC faltou com apoio ao
estudante.

• A respeito da denúncia que originou a reportagem, de que existia um caramujo em uma das refeições fornecidas pela empresa contratada pela UFC para fornecer as refeições aos residentes, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) volta a salientar que, uma vez informada, a equipe de nutrição da Universidade acionou de imediato a empresa prestadora de serviços, que iniciou uma investigação do ocorrido no processo de produção. A empresa emitiu uma nota de esclarecimento apontando as ações corretivas realizadas (que foi encaminhada no mesmo dia do ocorrido). Além disso, a PRAE solicitou à empresa a análise microbiológica e parasitológica da amostra em questão, tendo sido informada que a refeição já havia sido desprezada pelos estudantes, inviabilizando essa análise. Informamos ainda que no dia 18 de agosto a Coordenação do Restaurante Universitário abriu um processo de análise de possível sanção de advertência à empresa fornecedora pelo ocorrido.

• Por oportuno saliente-se que o Restaurante Universitário da UFC, sob a coordenação da PRAE, é uma unidade destinada a oferecer refeições de qualidade a estudantes, docentes e servidores técnico-administrativos da Instituição, além de constituir um espaço de integração da comunidade universitária. Trata-se de importante ferramenta da assistência estudantil, pois possibilita a democratização das condições de permanência dos jovens na educação superior pública federal. Tal constatação é evidenciada pela demanda total de 2,7 milhões de refeições registrada em 2019, composta predominantemente (95%) por estudantes. Outro ponto essencial a se considerar é o nível de satisfação dos usuários, expresso pelo Indicador de Satisfação do Cliente, de 93%, considerando as respostas boas e ótimas, ratificando o alto padrão de qualidade observado nos Restaurantes Universitários da UFC (dados apresentados no Relatório Gerencial da PRAE de 2019).

Atenciosamente,
Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFC (Prae)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags