PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Ceará tem maior taxa de homicídios em 2020, mas redução de 38% em 2021

Taxa de assassinatos em 2020 no Ceará foi a maior do País, mas números apresentaram redução de 38% no primeiro semestre de 2021

Lucas Barbosa
09:15 | 16/07/2021
Motos do Policiamento de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio) (Foto: Thais Mesquita)
Motos do Policiamento de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio) (Foto: Thais Mesquita)

O 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), permite se ter uma visão geral da violência no ano de 2020 no Brasil e também no Ceará. Para ilustrar isso, O POVO preparou uma lista com nove pontos sobre a dinâmica da segurança pública no Estado apontados pelo Anuário. Apresentado na manhã dessa quinta-feira, 15, o Anuário se baseia em informações fornecidas pelos governos estaduais.

LEIA TAMBÉM | Ceará registra a segunda maior taxa de homicídios femininos do Brasil

 

— Ceará teve a maior taxa de assassinatos no País em 2020

Mesmo destacando que as qualidades das informações prestadas pelos estados variam, o que dificulta a comparação, o Anuário mostrou que o Ceará teve, em 2020, a maior taxa proporcional de Mortes Violentas Intencionais (MVIs) do Brasil: 45,2 por 100 mil habitantes. Na segunda posição do ranking, vem a Bahia, com 44,9, seguido de Sergipe (42,6) e Amapá (41,7). A média brasileira foi de 23,6 assassinatos para cada 100 mil habitantes.  As MVIs incluem homicídios dolosos, latrocínios, lesões corporais seguidas de mortes e mortes decorrentes de intervenção policial.

— Ceará apresenta redução no número de homicídios em 2021


Apesar do aumento em 2020, o Anuário cita que o Ceará manifesta neste ano uma redução no número de assassinatos. Conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), no primeiro semestre deste ano, os homicídios caíram 38% na comparação com o mesmo período do ano passado, saindo de 2.245 para 1.599 mortes. Apesar disso, o FBSP ressalta que "será preciso aguardar para se ter um panorama mais sólido no que diz respeito às tendências observadas".

— Ceará teve a maior taxa de assassinatos de criança do País


Com 20 assassinatos de crianças entre 0 e 11 anos, o Ceará também teve a maior taxa proporcional de homicídios nessa faixa etária em todo o Brasil. O número significa uma taxa de 27,2 assassinatos para cada 100 mil habitantes. O Estado é seguido por Rio Grande do Norte (20,9), Sergipe (20,6) e Pernambuco (20,3). Ainda foram mortos 715 adolescentes entre 12 e 19 anos no Estado no ano passado.

+ 6 crianças morreram vítimas de conflito de facções no Ceará

— Ceará teve o maior aumento no número de assassinatos de 2019 para 2020


O número de MVIs no Estado aumentou 75,1% de 2019 para 2020, saindo de 2.359 para 4.155 casos. Nenhum outro estado teve aumento tão grande, sendo o segundo maior crescimento o registrado no Maranhão, onde os assassinatos aumentaram 30,2%.

— Caucaia, o município mais violento do País em 2020


O município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, teve a maior taxa de assassinatos por grupo de 100 mil habitantes entre todos os municípios brasileiros com mais de 100 mil moradores. Com um número absoluto de 360 mortes violentas intencionais, o município teve uma taxa de 98,6 homicídios por 100 mil.

Em segundo lugar no ranking, veio o município pernambucano de Cabo de Santo Agostinho, com uma taxa de 90 homicídios por 100 mil. Maranguape (79) e Maracanaú (78,4) foram dois outros municípios do Estado entre os dez mais violentos do País. Uma outra pesquisa, se valendo de outra metodologia, já havia colocado Caucaia como segundo município mais violento do Brasil. Ao todo, sete municípios cearenses superam a média nacional de mortes violentas intencionais

— Impacto do motim da PM e da expansão de facção no número de homicídios


O Anuário afirma ser consenso que o aumento no número de homicídios no Estado ocorreu por uma série de fatores desencadeados pelo motim da Polícia Militar, em fevereiro de 2020. A paralisação ocorrida entre 19 de fevereiro e 1º de março "desarranjou a cena local da criminalidade e as políticas públicas que estavam em curso e que faziam do estado um dos principais responsáveis pela redução da taxa nacional em 2018 e 2019". O motim, continua o Anuário, deu margem a uma expansão da facção Comando Vermelho (CV) sobre territórios da Guardiões do Estado (GDE) e "a violência, que estava contida, voltou".

 

— Morte de adolescente trans em Camocim é destaque


A foto da adolescente Keron Ravac, de 13 anos, espancada até a morte em Camocim, a 457km da Capital, foi destaque na capa do Anuário. A pesquisa mostrou que pelo menos 121 pessoas LGBTQI+ foram assassinadas no País em 2020. Entretanto, oito estados não informaram dados de assassinatos que vitimaram essa população — incluindo o Ceará. Foram registrados ainda 1.169 lesões corporais dolosas contra pessoas LGBTQI+

— Ceará tem nono menor gasto per capita com segurança


Ceará foi o nono estado do País com menor gasto per capita com segurança pública. Foram investidos, em 2020, R$ 331,51 por habitante, o que representa um aumento de 8% com relação a 2019, já com valores atualizados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de dezembro de 2020. Em média, os estados da nação investem R$ 463,06 per capita em segurança

— Boa qualidade dos dados informados


O Ceará ficou na nona posição no ranking elaborado pelo anuário para aferir a qualidade das informações prestadas pelas secretarias de segurança. Com isso, o Estado foi colocado no Grupo 1, onde estão as unidades federativas com melhor qualidade nos dados repassados. Outros 13 estados estiveram nesse mesmo patamar. Apesar disso, o Ceará deixou de informar alguns dos dados solicitados pelo anuário, como o número de casos de violência doméstica — sendo o único estado que não enviou essa estatística.

LEIA TAMBÉM | O retrato dos assassinatos no Ceará em 2020