Participamos do

Em campanha online, neta arrecada doações para a avó internada em hospital

O intuito é comprar fraldas, cadeira de rodas e cama de hospital para conseguir proporcionar o mínimo de conforto para dona Dolores, idosa de 84 anos que está internada em um hospital, mas deve receber alta em breve
18:13 | Jun. 28, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Dolores Queiroz, de 84 anos, mora na comunidade do Dendê, atrás do fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza. Ela é conhecida pela animação, por ser uma senhora ativa, querida pelos vizinhos e por cuidar bem da casa e dos netos. De dois meses para cá, a vida da idosa e da família mudou completamente. Dona Dolores precisou enfrentar uma anemia, uma pneumonia, divertículo - uma espécie de apêndice em forma de pequena bolsa ou saco - e até uma infecção urinária.

Após dois meses internada no hospital, a família organiza uma campanha online para arrecadar dinheiro e comprar uma cadeira de rodas, fraldas e uma cama hospitalar. Isso servirá para trazer dona Dolores de volta à casa dela, para próximo dos filhos e netos que ela tanto ama e sente saudade, desde que foi internada no Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza.

Ao O POVO, uma das neta de Dolores, Carla Castelo, 36, que também é responsável pela campanha, disse que a avó sempre representou uma figura de força. Atualmente, ela está aprendendo a cuidar da matriarca. "É o ciclo do retorno da natureza. Minha avó já cuidou tanto da gente. Eu estou aprendendo a cuidar dela. Assim como ela cuidou de mim, da minha mãe e das minhas tias quando éramos crianças, hoje nós cuidamos dela”, conta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Mãos que já cuidaram muito da gente", contou a neta de dona Dolores sobre a imagem
"Mãos que já cuidaram muito da gente", contou a neta de dona Dolores sobre a imagem (Foto: Arquivo pessoal)

Processo de internação

No início do ano de 2021, a presença de espírito da idosa estava mudando: “A minha avó estava fraca, sem querer comer como o habitual e passava muito mais tempo deitada. Levamos ao posto de saúde, foi quando constataram a anemia”, relata Carla.

Por volta do dia 20 de abril deste ano, ela precisou ser internada na Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza. Na unidade de saúde, descobriram que dona Dolores estava com divertículo. “Ela precisou utilizar uma sonda de alimentação e urinária. Ela é um pouco agitada e, às vezes, arranca as sondas. Ela teve uma piora e estava se recusando a comer. Teve febre e foi encaminhada a uma UTI e lá ela teve pneumonia”, conta Carla.

Em seguida, voltou para a enfermaria, local onde restabeleceu sua saúde. No momento, não aceita de maneira mínima alguma comida via oral. Alguns exames já apontam para sua melhora. O único problema foi a infecção urinária, adquirida durante o período de internação.

LEIA MAIS | Covid-19: atendimento nas UPAs do Ceará tem menor nível desde janeiro

+  Universidade de Oxford não encontrou "fortes indícios" da eficácia da ivermectina contra a Covid

“Ela tem tudo para ter alta. Não podemos deixar que ela continue no hospital, porque ela pode contrair outros tipos de infecções. O ambiente hospitalar, mesmo sendo um lugar de cura, não deixa de ser um lugar de adoecimento psíquico. Lá ela não sabe o que é dia ou noite, ela se sente confusa. A gente acredita que o ambiente familiar pode favorecer o processo de cura. Ela sente falta das crianças da família, ela chama por elas”, comenta Carla.

Carla também relata que avó era muito ativa e, de um tempo para cá, foi ficando mais entristecida. "Houve uma reurbanização no nosso bairro, nós fomos indenizados, e ela mudou de rua. Talvez isso tenha contribuído para o entristecimento dela. Foi uma rua em que ela morou por anos", finaliza.

Saiba como ajudar Dona Dolores

Envie doações para a chave PIX: 974.190.793-15
Contato: Carla Carline - (85) 99112.1313

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags