Participamos do

Após um ano sem missas presenciais em 13 de maio, fiéis comemoram no Santuário de Fátima

A data no mês de maio é ainda mais especial para os devotos de Nossa Senhora de Fátima. Mesmo sob chuva, movimento dos fiéis foi intenso no local
15:18 | Mai. 13, 2021
Autor Ítalo Cosme
Foto do autor
Ítalo Cosme Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O aniversário de aparecimento da Nossa Senhora de Fátima, em Portugal, teve significado diferente para os fiéis que compareceram em grande quantidade na manhã desta quinta-feira, 13, na Igreja de Fátima, no bairro homônimo. Os devotos não puderam comemorar da mesma forma a data no ano passado, porque as celebrações presenciais no santuário não ocorreram por conta da pandemia da Covid-19. Em maio de 2020, o Ceará passava pelo pico da primeira onda. 

O padre Francisco Ivan de Sousa, pároco da Igreja Nossa Senhora de Fátima, celebra as condições deste ano. “No ano passado, nós estávamos fechados por conta da primeira onda. Hoje, pelo menos 25% estamos abertos, devemos agradecer a Deus”.

Sobre as celebrações, comenta: “É sempre essa mensagem, como Maria disse: eis aqui a serva do Senhor, faça-me segundo a tua palavra. Que cada um fique despojado disso, que cada um se coloque também para servir ao senhor, escutando e fazendo a palavra de Deus acontecer”. Ao longo do dia, são dez missas, com transmissão também virtual.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os fiéis que chegam à igreja percebem uma série de protocolos adotados pelos organizadores. Limite de capacidade interna de 25%, sinalização nos bancos de onde pode-se sentar ou não, higienização dos bancos nos intervalos das missas e, na hora da comunhão, as mãos também passam pelo processo de limpeza.

"Está muito organizado. Me perguntei como seria porque sempre muita gente participa das missas. Mas me surpreendeu o nível de organização”, elogiou Micilene Oliveira, 35, após assistir a missa de 9h30min.

Na fila organizada para quem preferiu assistir dentro do Santuário, Isabel Feitosa, 54, aguardou no primeiro lugar para o encontro de meio-dia. Para tanto, chegou três horas antes. "É o dia da nossa mãe. Quero vê-la. Quero senti-la bem pertinho da gente. Certo que ela está em todos os lugares, mas é tão bom ficar dentro da casa dela".

Há dez anos, Ângela Sales, 64, trabalha vendendo artigos religiosos em frente à Igreja. Apesar do comércio quase sem ritmo, a mulher não reclama e agradece a oportunidade de estar ali. “Este ano está ruim em todas as situações. Quase não tem venda porque muita gente não pode vir. Nós também estamos aqui sem poder estar. Mas como estão deixando a gente ficar, estamos aqui.” A senhora estranha também que as ruas não foram isoladas e a pouca quantidade de papéis na avenida 13 de maio.

Já Eliezer Silva, 44, saiu do município de Canindé, distante 121 quilômetros de Fortaleza, com outros três amigos para comercializar chaveiros, terços, escapulários, fitinhas e imagens. No ramo há 20 anos, teve de faltar em três ocasiões por conta da pandemia da Covid-19.

“Aos poucos, a gente agradece a Deus por ao menos estar trabalhando. A expectativa é de que a pandemia diminua e as coisas voltem ao normal para voltarmos a trabalhar da mesma forma de antes, sem ter preocupação”, espera.

Confira os horários das missas neste 13 de maio:

Paróquia e Santuário de Nossa Senhora de Fátima

5h; 6h; 7h30min; 9h; 10h30; 12h; 14h; 15h30; 17h e 18h30min.

Clique na imagem para abrir a galeria


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags