PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Março foi o mês com o menor número de assassinatos no Ceará desde dezembro de 2019

Foram 249 assassinatos registrados, que ajudaram o trimestre a ter 25,6% menos assassinatos que no ano passado. Números, porém, seguem piores que os registrados em 2019

Lucas Barbosa
22:03 | 07/04/2021
  (Foto: Fernando Frazão/Arquivo Agência Brasil)
(Foto: Fernando Frazão/Arquivo Agência Brasil)

Março passado registrou o menor número de assassinatos no Ceará desde dezembro de 2019. Conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), divulgados nesta quarta-feira, 7, foram registrados 249 Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs), o melhor resultado desde os 205 de dezembro de 2019. O número ainda é 30,6% menor que o registrado em março do ano passado, quando 359 CVLIs foram registrados.

Os CVLIs incluem homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. O Estado vem reduzindo mês a mês os números desse indicador desde novembro último. O resultado disso é que o primeiro trimestre de 2021 teve 25,6% menos CVLIs que o primeiro trimestre de 2020: foram 805 assassinatos nos três primeiros meses deste ano contra 1083 dos três primeiros meses de 2020.

+ O retrato dos assassinatos no Ceará em 2020

As estatísticas, porém, seguem superiores ao registrado em 2019, ano menos violento da década no Estado. De janeiro a março daquele ano, foram registrados 545 assassinatos no Estado, 32% a menos que o mesmo período deste ano. Desde outubro de 2019, não é registrado no Ceará um mês com menos de 200 homicídios.

A SSPDS destacou que todas as quatro regiões em que o Estado é dividido apresentaram, em março, redução no número de homicídios. A maior queda foi registrada na Região Norte: 38,3%. Em seguida, vieram a Região Metropolitana de Fortaleza, com diminuição de 31,4%; e Fortaleza, com queda de 30,6%; e o Interior Sul com menos 21,7%. Os números absolutos de assassinatos não haviam sido divulgados na noite desta quarta-feira, 7, assim como os dados detalhados dos assassinatos por Área Integrada de Segurança (AIS). Também não haviam sido divulgados até o fechamento desta matéria o número de mortes decorrentes de intervenção policial.

Em informe à imprensa, a SSPDS creditou o resultado aos "investimentos feitos pelo Governo do Estado na segurança pública" e ao "fortalecimento dos trabalhos operacionais, da inteligência e das investigações feitas pelas polícias cearenses".