PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Empresa bane motorista de aplicativo preso após se masturbar em veículo na presença de passageira

Matheus de Sousa Alves, 23, foi preso em Fortaleza pela Polícia Civil suspeito de importunação sexual contra uma passageira

Lais Oliveira
09:41 | 29/01/2021

O motorista de aplicativo Matheus de Sousa Alves, 23preso em Fortaleza pela Polícia Civil suspeito de importunação sexual contra uma passageira, foi banido da plataforma inDriver. A empresa informou que ao tomar conhecimento do caso ocorrido nessa quarta-feira, 27, "imediatamente" se colocou a averiguar e está tomando "medidas internas cabíveis."

Segundo o registro da ocorrência realizado no 5º Distrito Policial, na Parangaba, o motorista teria feito perguntas íntimas à vítima de 37 anos, mostrou tatuagens e passou a se masturbar dentro do carro. Ela solicitou uma corrida por meio do aplicativo inDriver para o trabalho. No trajeto, os assédios começaram e a mulher chegou a pular do veículo para fugir do criminoso.

A empresa se posicionou em nota ao O POVO nesta sexta-feira, 29. "Reiteramos nossa intolerância a casos de assédio e suas diversas manifestações. Neste momento, a inDriver já está em contato com a vítima e autoridades locais ajudando no que for necessário", disse por meio de nota.

A inDriver Brasil também se solidarizou com a vítima e reiterou "que tais atos não fazem parte das diretrizes da empresa". "Neste momento, estão sendo tomadas todas as medidas internas cabíveis, para que possamos dar um seguimento pertinente e específico a este incidente e tomar as medidas necessárias em prol da nossa comunidade. O motorista em questão encontra-se banido de nossa plataforma", completou.

O que diz a lei?

 

Art. 215-A. – Praticar contra alguém, e sem a sua anuência, ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro é crime com pena de reclusão de um a cinco anos.

Denúncia

 

As vítimas de importunação sexual podem fazer sua denúncia pelo Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher, e também acionar as forças de segurança, como a Polícia Militar do Ceará, por meio do 190. É fundamental o registro do Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima.

Confira a nota da inDriver na íntegra:

 

A inDriver Brasil ficou ciente deste caso através da sua equipe de comunicação, e imediatamente se colocou a averiguar o caso. Primeiramente, a empresa se solidariza com a vítima e reitera que tais atos não fazem parte das diretrizes da empresa.

Neste momento, estão sendo tomadas todas as medidas internas cabíveis, para que possamos dar um seguimento pertinente e específico a este incidente e tomar as medidas necessárias em prol da nossa comunidade. O motorista em questão encontra-se banido de nossa plataforma.

Reiteramos nossa intolerância a casos de assédio e suas diversas manifestações. Neste momento, a inDriver já está em contato com a vítima e autoridades locais ajudando no que for necessário.

 com informações da repórter Jéssika Sisnando