PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Polícia Civil descobre esquema de comércio pela Internet de remédios com venda proibida

Os remédios destinados à rede pública do estado do Ceará eram vendidos de forma ilegal

20:35 | 23/10/2020
Remédios com venda proibida eram vendidos pela Internet  (Foto: divulgação/Polícia Civil )
Remédios com venda proibida eram vendidos pela Internet (Foto: divulgação/Polícia Civil )

A operação Venda Proibida, da Polícia Civil do Ceará, por meio da Delegacia de Combate à Corrupção (Decor) e com o apoio da Delegacia de Combate aos Crimes de Lavagem de Dinheiro (DCLD), ambas vinculadas ao Departamento de Recuperação de Ativos (DRA) descobriu um esquema de comércio de remédios de venda proibida destinados à rede pública de saúde do Ceará. O material era vendido em sites na Internet e três mandados de busca e apreensão foram cumpridos nesta quinta-feira.

Conforme a investigação da Polícia Civil, uma empresa localizada na Capital e que o ramo de atividade é o comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e higiene pessoal comercializava, por meio de plataformas da Internet, produtos que tem a inscrição "venda pública e hospitalar". São produtos que têm venda proibida no comércio. As investigações ainda apuram crimes de peculato, estelionato, falsidade ideológica, falsificação de documentos e lavagem de dinheiro. O nome da empresa e o do suspeito não foram divulgados.

Nesta quinta-feira, 22, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão. No Itaperi, um mandado de busca e apreensão foi cumprido e, no local, aconteceram apreensões de uma estufa para cultivo de maconha, dois sacos de substrato para planta, uma muda e sementes de maconha, apetrechos relacionados ao tráfico de drogas, além de quatro pássaros silvestres. O dono da casa foi preso.

Outro mandado de busca e apreensão aconteceu em um comércio no bairro Serrinha, onde 37 testes para detectar glicemia foram desviadas do sistema de saúde pública do Ceará.

O material foi apreendido e o suspeito encaminhado à sede da Decor, onde foi autuado em flagrante por recepção qualificada, tráfico de drogas e crime contra saúde pública.

LEIA MAIS: 

Operação contra furto milionário de remédios cumpre mandado em farmácia no Centro e prende funcionários terceirizados da Coasf

Sem receita, remédios são comercializados em feiras livres