PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Fortaleza integra pesquisa internacional sobre como a pandemia afetou a mobilidade urbana

O objetivo da pesquisa é "identificar as mudanças no comportamento do deslocamento das pessoas devido à pandemia

Gabriela Almeida
18:55 | 29/09/2020
Mobilidade urbana em Fortaleza será avaliada por estudo (Foto: FÁBIO LIMA/O POVO)
Mobilidade urbana em Fortaleza será avaliada por estudo (Foto: FÁBIO LIMA/O POVO)

Fortaleza foi selecionada para participar de uma pesquisa internacional que analisa o impacto da pandemia na mobilidade urbana. Desenvolvido pelo Centro de Excelência BRT+, em parceria com o instituto nacional de pesquisa WRI Brasil, o projeto selecionou municípios localizados na América Latina e na Austrália para serem analisados quanto a questões de deslocamento em meio à crise sanitária.

De acordo com a instituição brasileira, o objetivo da pesquisa é "identificar as mudanças no comportamento do deslocamento das pessoas devido à pandemia". O projeto dará ainda destaque especial para as viagens de trabalho, que foram afetadas com o isolamento social.

| LEIA MAIS | Ações de mobilidade urbana para crianças em Fortaleza são destaque em guia internacional de desenhos de ruas

O levantamento de dados realizado pelo estudo tem ainda como um dos principais objetivos promover adaptações. Nesse sentido, os órgãos esperam que as cidades compreendam a onda de transformação que a pandemia provocou no processo de deslocamento e realizem ações para se adaptarem ao novo contexto.

Responda a pesquisa clicando no link: http://bit.ly/PesquisaBRTFOR.

De acordo com Guillermo Petzohold, coordenador de mobilidade urbana na WRI Brasil, Fortaleza foi uma das escolhidas por ser uma cidade que "evoluiu muito nos últimos anos", ganhando destaque e virando referência internacional no que diz respeito a mobilidade urbana. O sistema de bicicletas compartilhadas, utilizado no município, foi apontado ainda por ele como um dos fatores consequentes desse cenário.

"A pandemia alterou completamente a forma como as pessoas se deslocam na cidade. Se não alterou, fez com que essas pessoas parassem para refletir acerca dos seus hábitos de deslocamento. Se de fato, aquele meio de transporte era o que fazia mais sentido", destacou.

Além de buscar compreender as mudanças provocadas na forma de deslocamento individual, o projeto também faz um levantamento sobre como as empresas estão lidando com a mobilidade urbana na jornada de trabalho. Os resultados do levantamento devem ser divulgados nas cidades, pelos eventuais gestores.

O WRI Brasil faz parte da instituição internacional World Resources Institute (WRI), que realiza pesquisas em mais de 50 países do mundo. Já o BRT+ é o o Centro de Excelência para estudos de transporte coletivo, coordenado pela Pontifícia Universidade Católica do Chile (PUC), em Santiago, e financiado pela Volvo Research and Educational Foundations (VREF).

Entre as iniciativas das instituições, estão ações que visam "desenvolver um novo panorama para planejamento, projeto, financiamento, implementação e operação de sistemas de transporte coletivo em diferentes áreas urbanas". Além de focar em medidas que promovam a "proteção do meio ambiente".