PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Centro de Inteligência Artificial da UFC recebe primeiros equipamentos e começa a ser estruturado

O equipamento pretende fazer com que talentos cearenses não saiam para outros lugares e fiquem no Estado

Leonardo Maia
12:44 | 29/09/2020
Professores Rodrigo Porto, Jorge Soares e Maurício Benevides, da Coordenação do Centro de Referência em Inteligência Artificial. (Foto: Divulgação/Viktor Braga/UFC))
Professores Rodrigo Porto, Jorge Soares e Maurício Benevides, da Coordenação do Centro de Referência em Inteligência Artificial. (Foto: Divulgação/Viktor Braga/UFC))

Os primeiros equipamentos do Centro de Referência em Inteligência Artificial da Universidade Federal do Ceará (UFC) começaram a chegar em Fortaleza. O núcleo potencializará trabalhos em ciência de dados, machine learning (aprendizado de máquina, em português) e big data (análise de grandes conjuntos de dados), que já acontecem na instituição.

Maurício Benevides, diretor da Faculdade de Direito e um dos coordenadores do Centro de Referência em Inteligência Artificial, projeta que o Centro pode trazer novas perspectivas para as dificuldades enfrentadas pelo Estado, como a carência de água e recursos naturais. Ele explica que outros lugares no mundo, como Israel e Coreia do Sul, enfrentam adversidades similares e conseguem se sair melhor devido aos recursos tecnológicos.

O docente lamenta que muitos dos talentos cearenses da área da tecnologia acabam deixando o Estado, mas vê o equipamento como esperança para que eles continuem aqui. "Se o Centro de Referência em Inteligência Artificial conseguir ser um polo de retenção de talentos e atração de inteligência, ele terá o poder de transformar nossa realidade. Nossa grande riqueza são nossos alunos", argumenta em nota.

Para dar os primeiros passos, foram adquiridos quatro servidores com altas especificações técnicas. Para ter uma ideia, um deles tem capacidade de armazenamento de 50 terabytes (TB), equivalente à 50 computadores comuns. Os equipamentos foram adquiridos com recursos do projeto Sinesp Big Data e Inteligência Artificial, que já está sendo desenvolvido pelo Laboratório Insight para o Ministério da Justiça.

Sinergia dos pesquisadores

Apesar de alguns laboratórios já terem sidos mapeados para usar as instalações, a intenção da UFC é que o uso se expanda para todos os cursos que trabalhem com inteligência artificial na instituição. Há ainda a estratégia de elaborar uma pós-graduação stricto sensu no tema Inteligência Artificial e Ciência de Dados.

Leia Também | UFC e Universidade de Nankai firmam acordo de cooperação na área de Inteligência Artificial

A sinergia pretendida com o equipamento deve ter como pilar o Condomínio de Empreendedorismo e Inovação. O local, um prédio de cinco andares no Campus do Pici, reunirá ainda o escritório de projetos, coworking e o ecossistema de startups nascidas na UFC, bem como representantes do setor produtivo. A estrutura terá parcerias com empresas públicas, privadas e governos.

"A interação entre jovens, pesquisadores, pessoal de tecnologia, startups, spin offs… As 'colisões' entre eles vão ser muito ricas e a sinergia, fantástica. Vai sair muita ideia nova desses encontros", avalia Benevides. Ele aponta que a inteligência artificial é considerada como a última revolução industrial.