PUBLICIDADE
Fortaleza
Cronica

Entrei na história: repórter do O POVO troca presentes de aniversário por doações e faz campanha solidária

Para comemorar seu aniversário de 21 anos, a repórter do O POVO, Lígia Grillo, realizou arrecadação e doação de cestas básicas para 50 famílias do Caça e Pesca

23:36 | 10/09/2020
A repórter do O POVO, Lígia Grillo, realizou campanha solidária para comemorar seu aniversário de 21 anos (Foto: Arquivo pessoal.)
A repórter do O POVO, Lígia Grillo, realizou campanha solidária para comemorar seu aniversário de 21 anos (Foto: Arquivo pessoal.)

A pandemia dificultou a vida de todo mundo. Não é fácil acompanhar e produzir as notícias do número de mortes, desempregos e desventuras que o planeta está enfrentando. Pensando nisso e com a data do meu aniversário de 21 anos chegando, decidi realizar uma ação que intitulei de #meajudeaajudar, para arrecadar dinheiro para comprar e doar cestas básicas para famílias que estão passando por necessidades nesse contexto tão complicado.

Depois de três semanas de arrecadação, foram doados R$ 1.800,00 pela vakinha. Com o valor, 50 cestas básicas foram montadas e entregues para a comunidade Terra Prometida, localizada na região do Caça e Pesca. As famílias que receberam as doações se encontram em situação de vulnerabilidade e muitas vezes não tem o que comer. De acordo com Nilvânia, empregada doméstica e moradora da comunidade, “foi uma maravilha receber a doação em um momento tão difícil, onde todos os valores dos itens de uma cesta básica subiram mais de 40%. Receber essa doação foi um momento de muita alegria para quem mais precisava”, comenta.

Leia mais | Custo da cesta básica aumenta em 13 capitais em agosto, diz Dieese 

Cada cesta teve o valor de R$ 39,26 e continha um saco de arroz, feijão, farinha, flocão, açúcar, sal, macarrão, gelatina, café, óleo de soja, leite em pó, suco em pó e biscoito recheado.

Além das cestas básicas, montei 150 kits para as crianças da comunidade, com o livro infantil que eu escrevi, “A Vida de Ricardo”, que fala sobre inclusão e acessibilidade, pipoca, doces e pirulitos. Foi um momento de muita alegria.

A ideia de realizar essa ação surgiu da vontade que eu tenho em ajudar as pessoas. Apesar de não ter conseguido amparar mais famílias, a ação foi significativa para quem recebeu. Também é uma forma de mostrar para as outras pessoas que todo mundo pode ajudar e contribuir e que ações como essa devem ser mais frequentes, independente de pandemia ou não.