PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Para combater Calazar, Prefeitura de Fortaleza realiza ações em 23 bairros da Capital

Barra do Ceará, Vicente Pizón e Quintino Cunha são algumas das regiões que vão receber as atividades

17:34 | 10/08/2020
Prefeitura de Fortaleza realiza, entre outros, vacinação e exame para diagnóstico de calazar em animais (Foto: Mauri Melo)
Prefeitura de Fortaleza realiza, entre outros, vacinação e exame para diagnóstico de calazar em animais (Foto: Mauri Melo)

Para identificar e combater casos de Leishmanioese, doença popularmente conhecida como Calazar, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Fortaleza vai promover atividades em 23 bairros da Capital. De acordo com informações da Prefeitura, ações devem contar com blitze educativas, començando nesta segunda-feira, 10, seguindo até a próxima sexta-feira, 14. 

Barra do Ceará, Vicente Pizón e Quintino Cunha são algumas das regiões que vão receber as atividades. Segundo órgão, agentes de endemias devem realizar visitas domiciliares, promoverem vacinação antirrábica em animais e distribuírem ainda brindes para a população. 

 LEIA MAIS | As epidemias que também contam a história do Ceará

Abrigo São Lázaro precisa de doações com urgência; saiba como ajudar

Todas as ações terão como base o objetivo de "conscientizar a população e identificar casos de calazar em animais". Para atingir esse objetivo, serão utilizados cartazes, maquetes e palestras, além de também ser realizada uma testagem em praças públicas e blitz educativas. 

Para ver programação completa basta acessar o link: 

https://www.fortaleza.ce.gov.br/images/Saude/ACOES_PREVISTAS_NESMS_2020_SEM_33_LEISHMANIOSE.pdf

Casos no Ceará

Um balanço divulgado pela Secretária de Saúde do Estado (Sesa) no inicio deste ano, mostrou que o Ceará teve registrado 294 casos e 19 óbitos de leishmaniose visceral em 2019. O índice representou uma redução de cerca de 23% quando comparado a 2018- que teve 383 registros.

Dados fornecidos pela Prefeitura apontam ainda que a rede municipal de saúde identificou 41 casos de calazar em humanos durante o ano passado, sem registros de óbitos pela doença. A leishmaniose pode ser fatal tanto para animais quanto para seres humanos e é transmitida através da picada do mosquito vetor, chamado de flebótomo e conhecido como mosquito palha ou cangalhinha. 

Os principais sintomas nos animais são emagrecimento, apatia e feridas na pele. Já as pessoas infectadas demostram febre, fraqueza, inchaço no abdômen, tosse seca e emagrecimento.